27/01/2009


Semarh apreende 61 filhotes



de pirarucu e 1 de jacaré




Fiscais da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos – Semarh (Goiás) apreenderam 61 filhotes de pirarucu em São Miguel do Araguaia com tamanhos entre 10 e 20 centímetros. A pesca de pirarucu é proibida em qualquer época do ano. Além disso, até 28 de fevereiro a pesca de qualquer espécie é proibida por causa do período da piracema.

O filhote de pirarucu não pode voltar para a natureza porque só sobrevive quando cresce ao lado dos pais. Eles foram doados para pesquisas em universidade e a carne de dois pirarucus adultos doada para creche. Um filhote de jacaré também foi apreendido.


Superintendente de fiscalização e fiscais apresentam à imprensa cerca de 80 quilos de carne de pirarucu adulto, 61 filhotes de pirarucu e 1 filhote de jacaré

Superintendente de Fiscalização da Semarh Greide Ribeiro Júnior: "Fiscalização atuante nos rios goianos principalmente durante à noite"

Fiscal mostra a carne do filhote de jacaré apreendido já sem o couro

Filhotes de pirarucu na caixa foram doados para universidade desenvolver pesquisas

Auto de apreensão com o valor da multa de 3580 reais para o pescador que ainda vai responder processo

Muito pequenos, os filhotes podem ser até exportados por traficantes. Nesse caso podem ser vendidos por mais de 30 reais cada. No total, entre filhotes e adultos e a carne de jacaré poderiam ser obtidos mais de 5 mil reais. Mas renderam foi multa de 3580 reais para o pescador predador da natureza que deverá responder na justiça.

Comentário: Pesca de pirarucu, pirarara e filhote é proibida por lei em qualquer época do ano justamente porque esses peixes estão a cada dia mais ameaçados na natureza. Mas um agravante é realizar essa pesca durante o período da piracema que vai de 1º de novembro de um ano a 28 de fevereiro do outro ano. A educação ambiental é imprescindível, mas depois da orientação, informação, entram os rigores da lei. E quem é pego infringindo a lei tem contas a prestar para a Justiça. Pesca predatória, e ainda mais dentro do período da piracema, é crime. E a educação ambiental é importante justamente para evitar agressões ao meio ambiente como essas a animais ameaçados dia a dia. O ideal é que esses peixes sejam cada vez mais multiplicados em criatórios autorizados (alguns já existem) para que não ocorra a extinção de espécies tão importantes e cobiçadas pelo homem mas fragilizadas na natureza. É preciso ter e demonstrar conscientização ambiental quando o assunto é sustentabilidade. Ou talvez no futuro até teremos rios, mas sem peixes?
.
.
.
.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário