23/07/2009

.
Dinâmicas nas praias
.
do Rio Araguaia

Casal de jaburus ou tuiuius nas praias de Aruanã. No momento, ao lado de acampamento que estava sendo cadastrado e recebeu orientações sobre a importância do cumprimento das normas de convivência com o Rio Araguaia. Uma delas diz para não maltratar os animais. Momentos belos apreciados pelas equipes que desenvolvem trabalho de educação ambiental durante a Temporada de Praia do Rio Araguaia 2009.

Crianças da Aldeia Ariká em uma foto expontânea. Fui muito bem recebido tanto por crianças quanto pelos índios. As crianças me abraçaram e um deles subiu em minha perna e me abraçou no pescoço enquanto eu filmava. Fiquei encantado e emocionado com a pureza desses Karajá da Ilha do Bananal que chegaram a Aruanã há pouco tempo. As crianças não falam português, mas se expressam com carinho e alegria com os gestos. Momento mágico proporcionado pela educação ambiental em Goiás

Pôr-do-sol na entrada da Aldeia Buridina, dos índios Karajá

A estudante da UEG Hurualla com rosto pintado com sapinho: pronta para auxiliar Glorinha Fulustreka na realização de dinâmicas nas praias com contação de histórias e músicas infantis com temática de educação ambiental. Trabalho da Semarh em parceria com ICMbio.



Pôr-do-sol na entrada da Aldeia Buridina, em Aruanã


Equipe da Semarh e ICMbio indo para Aldeia Ariká fazer trabalho de dinâmicas e músicas de educação ambiental para crianças indígenas

.
Efeito da luz do sol no vidro da camionete do ICMbio quando viajávamos para Cangas para desenvolver o trabalho de educação ambiental e cadastramento em acampamentos no Rio Araguaia


O reflexo do jaburu nas águas do Rio Araguaia, em Cangas

Muitos tentam flagrar o momento que o tuiuiu começa a voar. Jodenir Aparecida captou esse momento em Aruanã


Equipes em lancha do Batalhão Ambiental/Polícia Militar sobem o Rio Araguaia para realização de cadastramentos. Parceria dos órgãos possibilita melhor realização do trabalho.

Dinâmicas nos acampamentos durante reunião sobre meio ambiente. Perguntas e respostas, músicas e muita reflexão sobre a importância de preservação do Rio Araguaia e cumprimento de normas de convivência. No final a música: "Amigos para sempre..."


Descendo a lancha da Semarh em um dos portos de Aruanã

Pôr-do-sol dentro da Aldeia Buridina, em Aruanã

Turista de Campestre de Goiás durante a temporada de praia, Michelle Fortunato, 18, diz que Aruanã é um lugar ótimo: "Aproveito o sol e acho o Rio Araguaia lindo"

Final de tarde no acampamento, em Cangas. Momento em que a equipe chega para realizar o cadastramento e dar orientações com o trabalho de educação ambiental

Luís Alfredo do ICMbio em canoa da Semarh subindo pelo Rio Araguaia rumo a acampamentos a serem cadastrados

Pescador de Goiânia na Praia do Cavalo de Aruanã consegue fisgar um barbado dentro das medidas

Moças observam o Rio Araguaia em baixo de guarda-sol

Igor, Semarh, faz cadastramento e orienta acampamentos sobre normas de convivência com o Rio Araguaia


Acampamento na Praia do Cavalo 1, em Aruanã, levou até piscina para as crianças. Mais segurança

Igor entrega brindes em acampamentos durante realização de reuniões

Mini palestra durante realização de reuniões nos acampamentos cadastrados. Falei sobre a importância de preservação do Rio Araguaia e a relação de cada um dos acampantes com a qualidade da água e do meio ambiente durante e após a temporada. A necessidade de afastamento dos banheiros sanitários do rio, de não lavar roupas ou utensilios domésticos dentro do rio e de cada um fazer sua parte para manter a água em boa qualidade.

Até porque durante a temporada de Praia do Rio Araguaia mais de 50 mil pessoas passam pelos acampamentos no trecho em Goiás. Os números foram obtidos com cadastramento da Semarh em 2007

Parte da equipe da Semarh em Aruanã: Wagner, Reis, Igor e Jaques em acampamento na Praia do Cavalo 1

Glorinha Fulustreka conta a história da cobra sucuri ou boiuna para crianças e adultos em acampamentos de Aruanã

A arte-educadora Glorinha Fulustreka tem um trabalho com músicas e histórias infantis que passa mensagem de educação ambiental de forma lúdica

A boiuna, a borboleta, o sol, o sapo. O trabalho de Glorinha Fulustreka prende a atenção das crianças

Olha só a potência desse motor da lancha. Comparando a canoas de motor 15...

Mas não precisa usar toda a potência. Controlar a velocidade já é uma forma de respeito ao animais, aos peixes e a maneira mais segura de navegar. Não é mesmo?

Essa barraca é uma verdadeira casa. Ampla, arejada, alta. Custou 600 reais em Goiânia. Acampamento na Praia do Cavalo 1 com várias barracas dessa

Estudante da UEG Graice Kely faz cadastramento

Pequena balsa leva esse grande gerador de energia para acampamento acima de Aruanã. Um gerador garante conforto dos acampamentos. O problema ambiental é quando eles fazem muito barulho. Por isso a importância dos abafadores de som. Geradores modernos estão cada vez mais emitindo menos barulho.

A cada dia novos acampamentos são montados. Equipes de educação ambiental estão atentas cadastrando e orientando sobre importância do cumprimento das normas de convivência com o rio


Todos juntos na dinâmica do coração quente. Quem pega o coração tem de responder perguntas sobre preservação do meio ambiente e principalmente do Rio Araguaia, mas ganha camiseta ou outro brinde.

Vovó india da Aldeia Ariká tem mais de 115 anos

Van da Semarh na Aldeia Ariká

Equipe se preparando para visitar Aldeia Ariká

Hurualla e Lílian fotografando o jabuti na Aldeia Buridina. Ao lado um casco de tartaruga. A mamãe de um dos índios diz: "As crianças da aldeia adoram tartaruga." A legislação ambiental não permite a captura de tartarugas, mas os índios podem fazer isso para comer.

Close

Kennedy em happy hour no PET. No local estão as equipes formadas por ICMbio e alunos de universidades

Praia do Sesi

Trabalho de educação ambiental e fiscalização em porto de Aruanã

Locais determinados para que acampantes deixem lixo que é recolhido por um barco da Prefeitura de Aruanã

Bombeiros tiram da água avião anfíbio que caiu no Rio Araguaia abaixo de Aruanã, seguindo para a Mata Coral. Mais de uma semana e tiveram de desmontar dentro da água.

Após cadastramento em Cangas. Fomos muito bem recebidos neste acampamento. Ouvimos até história do Rio Araguaia da década de 60 e 70

Patos estão a todo momento sobrevoando o Rio Araguaia

O céu no reflexo das águas do Rio Araguaia

Foto do sol no Araguaia. Adoro o sol, energia positiva, natureza

Descendo em lancha da Semarh rumo a Cangas para fazer o cadastramento de acampamentos

Nesse local a água do Rio Araguaia é bombeada para agricultura irrigada no Estado do Mato Grosso. Se a água do rio diminui a agricultura também pode ser ameaçada de não progredir. Vale reflexão. Agricultura sem água não vai produzir nada!

Rumo a Cangas. Piloto Tarcisio da Semarh

Registrando cada acampamento

Cena marcante: depois da reunião no acampamento e sorteio de brindes

Descansando nos pés da cadastradora do acampamento Grayce Kely

Leonice observa acampamento dos Bacanas. Nesse acampamento eles entenderam bem a mensagem das equipes da Semarh e ICMbio e viram que o trabalho é sério

Distribuição de brindes e dinâmica no Acampamento dos Bacanas

Camiseta da Temporada de Praia 2009

Coração quente, quente, quente... Por que preservar o Rio Araguaia?

Orientação também da fiscalização da Semarh

Equipes de educação ambiental se encontram em acampamentos

Sacos para lixo, réguas para medir peixes, cadastramento, fixação de cartazes com normas de convivência com o rio e distribuição de camisetas

Equipe de educação ambiental da Semarh e estudantes de universidades

De praia em praia fazendo educação ambiental na prática

Rumo a outra praia. Água e mais água pela frente

A estudante da UEG em lancha da Semarh observa o acampamento Sol, já cadastrado. Oportunidade de aprendizado na prática

Descendo em lancha da Semarh

Rumo a cangas por estrada de terra para realização de cadastramento com equipe da ICMbio

Muita poeira em mais de 70 quilômetros de Aruanã a Cangas

Um brinde na estrada com mais um pôr-do-sol em breve

Rumo a Cangas

Montador de acampamento em Cangas, Divino, foi orientado sobre as normas de convivência com o Rio Araguaia. Seus acampamentos já seguem as normas mas tem acampante que aluga o acampamento e faz jiral dentro da água. Ele vai colaborar na multiplicação das informações

Camiseta para acampamento em Cangas

Araras-canindé sobrevoam o Rio Araguaia. Um colorido especial no céu. Parar para ficar embevecido

Acampante recebe carta com data de reunião em Goiânia em 15 de maio de 2010 para chefes de acampamentos. Nessas reuniões é que são decididas as mudanças nas normas de convivência com o Rio Araguaia

Equipe no contra luz. Trabalho começa bem cedo e termina tarde, às vezes continua até durante a noite preparando material para outro dia. Mas vale a pena passar a mensagem de educação ambiental, conscientização

Uma tartaruga morreu aqui


Isca de espera enrola-se na canoa ao saírmos de acampamento. Tudo certo no acampamento, mas isca de espera ou pinda é proibida por lei. Foi recolhida e servirá agora para o trabalho de educação ambiental nas escolas de Goiás. Com essa linha e anzol vai uma historinha de pescador que desobedece as leis e põe no rio uma isca de espera proibida por lei

Começa mais uma noite

Rastros de jaburu e de capivaras às margens do Rio Araguaia

Que bela pegada de jaburu

Jaburu ao lado da estrada rumo a Cangas


Acampamento montado: só sossego

Fim do dia... tô lá observando mais um pôr-do-sol. Com acento, sem hifem? Depois vou ver isso. Agora só a imagem importa.

Paulinho do Ibama conduz equipes da Semarh no trabalho de parceria Semarh e ICMbio

Nunca é demais mostrar o rio em mais uma pose. Sempre belas

Pescadores mirins

Patos sobre o Rio Araguaia. São ótimos pescadores. Barqueiros dizem que são os maiores predadores já que alguns patos pescam e comem dezenas de peixes por dia. De preferência mandis.

Rumo a Cangas

Na camionete combustível, coletes salva-vidas e bagagem das equipes para 2 dias

70 quilômetros de Aruanã a Cangas, sendo a maior parte da estrada em terra batida

Olha a poeira. Tudo ensacado.

Só de estrada de terra

Foto da foto

Descontração: happy hour no Sesi equipe ao lado do Secretário Estadual do Meio Ambiente Roberto Gonçalves Freire

Céu e água

Luís Alfredo do RAN e Wagner Oliveira da Semarh no Porto de Aruanã

Filhotes de gaivotas nas praias. Uma das normas de convivência diz que não é permitido acampar em praias com ninhal de gaivotas. Nesta praia as gaivotas estavam atacando quem aproximava. Justamente porque lá estavam seus filhotes aprendendo a voar. Voavam baixo, não voavam longe. E os pais atacavam quem se aproximava.

Os jaburus estão de volta. Muita gente que acampou nas praias do Rio Araguaia observa que está mais fácil ver casais de jaburus nas praias. Vi vários casais entre a Ponte de Itacaiu e o Hotel de Cangas. Fiz várias fotos deles. Certamente a maior conscientização ambiental está proporcionando cenas como esta. Quantos não queriam testar a pontaria em uma ave dessas há algumas décadas. Hoje eles aproximam dos acampamentos também em busca de mais comida já que acampados acabam deixando algum resíduo cair no rio. Vi muitos e muitos encantados com os jaburus ou tuiuius do Rio Araguaia.


Cada acampamento cadastrado foi registrado com um número do GPS que mostra a exata localização do acampamento. Praias sujas depois da temporada? Dá para saber quem sujou. O responsável pelo acampamento pode ser localizado com cadastro e localização pelo GPS

Any, Enio e sua filha em acampamento no Rio Araguaia

Cassius na oficina com crianças: pintura de desenhos sobre o Rio Araguaia

Nossa, quanta preguiça. Olha só o que promete o acampamento

Na curva vão cair...

Banana boat. 8 reais por pessoa. Duas pessoas por 15 reais

Aguardando. Logo mais um peixe será pescado

E mais barco na água

Aline Teles com lenço, Ronaldo (de costas), Sandra da Semarh, estudante Raquel, Grayce e Paulinho. Educação ambiental em parceria

Olha a fila gente

Esperando no porto do Sesi. Fila para pegar barco. Na temporada tem

Todos esperando no porto para parti para praia acima ou abaixo de Aruanã. Trabalho de educação ambiental pela frente

Aula de Cláudio da Semarh para alunos de universidades que participam como estagiários na Temporada de Praia do Rio Araguaia

Centro de Atendimento ao Turista, em Aruanã, durante a noite. Ficou muito bonito mesmo.

Araguaia é lugar de gente feliz

Pintura durante apresentação de Glorinha Fulustreka

Barco da coleta de lixo em praias de Aruanã. Esse batelão leva muito, muito lixo. E a reciclagem? Vamos reciclar gente

A Fulustreka em mais uma rota. Rumo a mais uma praia para alegrar as crianças. Música para educação ambiental. Veja em breve os vídeos para todos aprenderem as músicas de Glorinha

Voltando do rio. Olha a bagagem que o povo leva para o acampamento. Já teve barco com tanta bagagem que afundou. Hoje, a Marinha impõe limites. Barco de 5 metros até cinco pessoas. Barco de 6 metros até seis pessoas.

Flagrante em frente ao porto da Associação de barqueiros de Aruanã

Pescador nato. O presidente da Associação dos Barqueiros frisa: "Os maiores predadores do Rio Araguaia são esses patos. Pegam 50 mandis em um dia." Nossa. Mas isso está nos calculos da natureza e em equilíbrio talvez há milhares de anos. O problema é o predador homem que consciente das normas de convivência deixa de cumpri-las

Benaya explicando as normas de convivência em mais um acampamento

Espaço para todos

Estudante Aline Teles registrando algo. Flagrei

Equipe da Semarh e equipe da Agecom em Aruanã. Parceria ajudou muito na divulgação do trabalho que é realizado há cerca de 30 anos no Rio Araguaia desde a antiga Agência Ambiental, Femago... Agora é com a Semarh. Agência Ambiental e Semarh são uma só

Cada pôr-do-sol mais lindo do que o outro. Aguarde. Em breve mostro mais aqui em Educação Ambiental em Goiás
.
.
.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário