19/02/2009


Carta de 


Responsabilidades 


de Goiás


Deliberações da II Conferência Estadual Infanto – Juvenil pelo Meio Ambiente de Goiás

 

 Por meio dessa singela carta, nós, delegadas e delegados da II Conferência Estadual Infanto – Juvenil pelo Meio Ambiente de Goiás, expressamos nosso sentimento de honra por fazer parte deste processo de aprendizagem. Durante a conferência vivenciamos novas experiências e com isso adquirimos novos conhecimentos.

 

Agradecemos a todas as instituições presentes no processo de organização e realização da conferência; em especial à Comissão Organizadora Estadual coordenada pela Secretaria Estadual da Educação, através do núcleo de Educação Ambiental. A todas essas e demais pessoas que somaram para realizar esta conferência, nos proporcionando vontade de lutar pela causa ambiental e assim nos garantindo maior visibilidade da situação em que o planeta está.

 

Durante os três dias em que estivemos nesse ambiente mágico de construção, sentimos o desejo sincero de reflorestar ambientes degradados, utilizar os 5 Rs, criar as COM-VIDAs, reconstruir ambientes naturais em áreas de convivência, sensibilizar a população local de nossos municípios e promover coletas seletivas com destino apropriado. Com determinação e empenho, nós nos comprometemos a criar Coletivos Jovens pelo Meio Ambiente em nossos municípios que ainda não tem e fortalecer outros já existentes com a nossa atuação.

 

Viemos de lugares variados, tanto em diversidade cultural quanto em situações contraditórias, e estamos retornando com um objetivo construtor e revolucionário:

 

1- Vamos zelar dos bens naturais e materiais da escola, cuidando do ambiente do qual fazemos parte, diminuindo a produção de lixo e praticando os 5Rs, transformando a escola num espaço ambientalmente saudável.


2- Vamos trabalhar para manter a exuberância do Cerrado, evitando as queimadas, e tornando a nossa escola um espaço de envolvimento da comunidade.

 

3- Vamos promover palestras nas escolas para melhorar a qualidade de vida na nossa comunidade, sensibilizando todas as pessoas para a preservação das nascentes e o reflorestamento das áreas degradadas.

 

4- Vamos motivar as pessoas a compreender a importância da água para sobrevivência de todas as espécies que habitam o planeta, aplicando soluções de modo individual e coletivo para o consumo sustentável da água em nossa comunidade.

 

5- Vamos assumir nossa responsabilidade de cuidar do ambiente onde vivemos, informando aos agricultores sobre a necessidade de evitar as queimadas, usando métodos adequados de plantio para manter a fertilidade do solo.

 

6- Vamos utilizar as fontes de energia de modo sustentável e equilibrada em casa, na escola e nos espaços da comunidade, apagando as luzes e desligando os aparelhos que não estão sendo utilizados.

 

7- Vamos utilizar nossos meios de comunicação para orientar e repassar nossos conhecimentos com o intuito de modificar as ações humanas que ameaçam a biodiversidade: desmatamento, tráfico ilegal de animais, poluição ambiental, ocupação de grandes áreas florestais, uso excessivo de recursos naturais, desperdício de água e uso exagerado de agrotóxicos.

 

8- Vamos assumir uma atitude que promova uma sociedade justa e equilibrada que valorize a vida no Cerrado.

 

Vamos juntos com a juventude de Goiás, firmar todos nós que amamos o Cerrado, os compromissos aqui declarados!


.

.

.

.

.

Condenados por


crimes ambientais terão

 

de fazer cursos de EA

 

Valéria Castanho da Agência Senado

08/04/2009

As pessoas condenadas por crimes ambientais poderão ser obrigadas a freqüentar cursos presenciais de educação ambiental, com disciplinas relacionadas à construção de valores sociais, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências voltadas para a conservação da natureza. A obrigatoriedade foi aprovada nesta quarta-feira (8), por meio de projeto de lei de autoria do senador Valter Pereira (PMDB-MS), votado na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), em decisão terminativa.

Segundo o autor do projeto (PLS 44/07), a nova modalidade de pena restritiva de direitos soma-se às já previstas, com o objetivo de promover a conscientização do infrator a respeito da necessidade de se proteger a natureza.

- O objetivo do projeto não é só reeducar o infrator, mas também, quem sabe, torná-lo um defensor do meio ambiente - justificou Valter Pereira, cujo projeto altera a Lei 9.605/98, que dispõe sobre as sanções penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio ambiente.

Ao apresentar parecer favorável, o relator da matéria, senador Demóstenes Torres (DEM-GO), afirmou que a pena restritiva de direitos “tem a vantagem de propiciar a conscientização do infrator, pois possui pertinência com a conduta proibida, reforçando a proteção ao meio ambiente”.

- É mais uma opção que passa a ter o juiz de aplicar essa modalidade de curso presencial de educação ambiental - justificou Demóstenes.

O projeto original previa carga horária mínima de nove horas-aula de curso, que ainda não poderia ter duração inferior a uma semana. Mas emenda da senadora Serys Slhessarenko (PT-MT) excluiu do texto essa determinação. Segundo a parlamentar, esse detalhamento deverá ficar a cargo da legislação regulamentar, “com o fim de evitar que o engessamento de prazo possa prejudicar o conteúdo pedagógico do curso”.

Serys ainda incluiu no texto uma outra emenda para que os cursos sejam ministrados por entidades, públicas ou privadas, credenciadas para este fim perante órgãos ambientais, observando-se os princípios e objetivos da Política Nacional de Educação Ambiental.

Ao elogiar a iniciativa, a senadora Marina Silva (PT-AC) ressaltou que o projeto, na verdade, é um prêmio, pois “trata-se de um processo de educação ou pós-educação para aqueles que não tiveram a oportunidade de aprender a cuidar e preservar a natureza”. Renato Casagrande (PSB-ES) também elogiou a proposta.

.

.

.

.

.

 


Semarh reúne secretários

municipais de meio ambiente

 

No próxima quarta-feira, 1° de abril, a Secretaria Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos - Semarh realiza em Goiânia Fórum Estadual de Secretários Municipais de Meio Ambiente de Goiás.

No evento será trabalhada a agenda 2009 para gestão ambiental integrada dos governos Federal, Estadual e Municipal.

A reunião será das 8h às 15h, na sala de reuniões do Biss Inn - Hotel Empresarial de Goiânia, Av. Anhanguera, nº 1.157, Setor Universitário, Goiânia – GO.

De 246 municípios de Goiás,   200 possuem órgão municipal de meio ambiente. Mas cerca de 90% dos secretários municipais de meio ambiente são novatos. Será um evento integrado e a oportunidade de a Semarh apresentar aos municípios a política estadual de meio ambiente, o Ibama expor a política federal de meio ambiente e os municípios apresentarem suas dúvidas e demandas.

Mais informações (62) 3201-5156 ou 5155 ou pelo e-mail: odete@semarh. goias.gov. br

.

.

.

.

.

17/02/2009


Semarh realiza 


palestras em 


Aparecida de Goiânia



A Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos – Semarh realizou palestras de Educação Ambiental para alunos do Colégio Estadual João Barbosa Reis, em Aparecida de Goiânia. Foram abordados temas como água e sua disponibilidade no planeta, lixo e resíduos sólidos como problemática ambiental e apresentadas sugestões para minimizar os problemas. Os temas foram solicitados pelo colégio. As palestras da Semarh fizeram parte de um evento maior realizado pelo colégio intitulado Projeto Cidadania.



Olha a atenção da turma

Professores cobram dos alunos conteúdo: anotações vão ajudar na hora de seminários ou apresentação de trabalhos

Tem aluno que não perde nenhum detalhe ou dados

Vale a pena o esforço e a dedicação

Nem terminou a palestra e a folha já está cheinha de conteúdo: parabéns

Parabéns à direção do Colégio Estadual João Barbosa Reis e servidores pela organização do evento. Parabéns aos alunos pela atenção e dedicação. Somos os principais beneficiados quando refletimos e agimos de forma sustentável.



 Cartaz fixado na escola anuncia palestra de educação ambiental


Diretora Ivone Rodrigues (terceira) e vice-diretora Keila da Paz (sexta) com alguns dos professores e equipe de educação ambiental e educação para o trânsito no Projeto Cidadania do Colégio Estadual João Barbosa Reis de Aparecida de Goiânia.


Palestras de educação ambiental da Semarh podem ser solicitadas pelos municípios por meio de ofício enviado ao secretário estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos Roberto Gonçalves Freire, Palácio Pedro Ludovido, Praça Cívica, Goiânia. Mais informações na Semarh pelo (062) 3201-5188.

.

.

.

.

.

.


11/02/2009


100 mil reais em pets de

Goiânia para reciclagem

A cada mês só o motorista Paulo Conti transporta quase 100 mil reais em recicláveis de pet ou cerca de 55 toneladas. Elas saem das ruas de Goiânia para uma indústria em Mauá, São Paulo. Cada carreta lotada gera quase 25 mil reais ao chegar à indústria


Clique na foto e veja ampliada

Carreta com carga de 14 toneladas estacionada em Goiânia enquanto aguarda outra também com recicláveis para seguirem em comboio. Uma carga de quase 25 mil reais ou o preço de um automóvel. Tudo isso seria lixo para o aterro sanitário de Goiânia ou estaria entupindo esgotos, sujando ruas ou acumulando água para transmissão de doenças. Com a reciclagem serão aproveitadas como matéria-prima para novos produtos. Ganha o meio ambiente, a população, a indústria, o mercado de trabalho.

Veja o vídeo com o depoimento do motorista da carreta Paulo Conti que já transporta recicláveis de Goiânia para indústria em São Paulo há 10 anos





.
.
.
.
.

10/02/2009


II Conferência Estadual

será na próxima semana


Clique na imagem para ampliar
Clique na imagem para ampliar

.
.
.
.
.

Mais um flagrante

em estrada de Goiás

Outro tamanduá mirim entre

Piracanjuba e Caldas Novas



Gravei este vídeo na estrada que liga o município de Piracanjuba ao município de Caldas Novas, em Goiás. Recentemente o blog publicou fotos de outro mirim atropelado na mesma estrada. Ainda é comum encontrar em algumas estradas cenas como estas em que animais são atropelados. Normalmente eles saem em busca de comida ao final da tarde e início da noite ou pela manhã. De hábitos noturnos, correm risco de vida também durante toda a noite já que pelas estradas passam veículos 24 horas por dia. No vídeo dá para ver a velocidade em que passam os carros de passeio e caminhões. E são nos locais que os automóveis atingem maior velocidade que é mais comum serem atropelados os animais do cerrado porque normalmente são corredores ecológicos naturais. Lugares onde há água, córregos, matas. Na migração em busca de comida para sobrevivência os chamados "bichos" do cerrado são eliminados pelo "bicho" homem e suas "máquinas voadoras".



Tamanduá mirim

vivo no Pantanal



Encontrei esse vídeo de AndreGiovanniCoelho que mostra um tamanduá mirim no Pantanal da Nhecolândia. Serve como comparação. Diferentemente de ser atropelado, o animal do video foi filmado e admirado por dois jovens e depois pode ir embora para seu habitat natural. Pensar que há algumas décadas esse tamanduá dificilmente conseguiria escapar. Se não fosse capturado ou morto com tiro, seria pelo menos perseguido. Pelo menos a conscientização ambiental de muitos é outra e o espírito caçador do homem que habitou as cavernas e construiu as cidades se eleva embevecido diante de um animal. Observe que o jovem diz no vídeo em um certo momento em que filma: "estou todo arrepiado".

.

.

.

.

.

.

.

08/02/2009

Sexta-feira - 14-8-2009
.
IV EEJMA

De 20 a 23 de agosto

em Anápolis

APRESENTAÇÃO

O Coletivo Jovem de Meio Ambiente de Goiás, em conjunto com a Diretoria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos/SEMDUS da Prefeitura Municipal de Anápolis, realiza o IV ENCONTRO ESTADUAL DE JUVENTUDE PELO MEIO AMBIENTE DE GOIÁS (EEJMA-GO), entre os dias 20 e 23 de agosto de 2009, no Clube da Associação Atlética do Banco do Brasil – AABB, em Anápolis - GO. O evento conta com o apoio da Gerência de Educação Ambiental da Secretaria Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos - Semarh.

O Encontro busca mobilizar jovens ambientalistas, que acreditam na construção de um mundo melhor, e fortalecer o Movimento de Juventude pelo Meio Ambiente em nosso Estado, promovido pelos Coletivos Jovens de Meio Ambiente de Goiás.

Em sua IV edição, o EEJMA-GO tem como foco o tema “As Políticas Públicas de Juventude e Meio Ambiente” e tem como pano de fundo o debate sobre o Cerrado. O objetivo é focar na importância da mobilização protagônica de jovens na garantia dos seus direitos, e aprofundar a discussão dos subtemas:
O Papel do Jovem na Gestão Ambiental Local – mobilizar a juventude para participar dos Conselhos Municipais de Meio Ambiente nas suas cidades, fortalecendo por sua vez o Sistema Nacional de Meio Ambiente (SISNAMA);
Programa Estadual de Juventude e Meio Ambiente - consolidar as ações da área realizadas pelo Estado em Política Pública, que hoje acontece de maneira pontual e fragmentada. A discussão deste subtema subsidiará ainda a Consulta Pública do Programa Nacional de Juventude e Meio Ambiente;
O Cerrado e as Questões Ambientais Locais - pretende dar maior visibilidade ao Bioma Cerrado, reforçando o movimento pela aprovação da PEC 115-150, reconhecendo o Cerrado e a Caatinga como patrimônio nacional.

Espera-se, portanto, mobilizar todos os setores da sociedade, abrindo portas para o diálogo intergeracional, entre jovens e instituições do poder público, ONGs e movimentos sociais, efetivando e garantindo Políticas Públicas voltadas para as questões Ambientais e da Juventude, unindo os laços entre estes atores, no enfrentamento da problemática socioambiental e na construção de sociedades sustentáveis.

Coletivos Jovens (CJ’s)
São grupos informais que reúnem jovens (quinze a vinte e nove anos), com o objetivo de envolver a juventude com a questão ambiental e desenvolver atividades relacionadas à melhoria do meio ambiente e da qualidade de vida. Esses coletivos são como redes locais, para articular pessoas e organizações, circular informação de forma ágil, pensar criticamente o mundo a partir da sustentabilidade, planejar e desenvolver ações e projetos, produzir e disseminar propostas, que apontem para sociedades mais justas e eqüitativas, dentre outras ações e realizações. Os Coletivos Jovens de Meio Ambiente (CJ) foram criados no ano de 2003, durante a realização da Conferência Nacional Infanto-Juvenil pelo Meio Ambiente (CNIJMA), realizada pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e Ministério da Educação (MEC). Hoje, somente em Goiás existem XX CJ’s, atuantes.



OBJETIVO GERAL

Fomentar e fortalecer as ações do Coletivo Jovem de Meio Ambiente, possibilitando contribuir para a construção do Programa Estadual de Juventude pelo Meio Ambiente de Goiás, tendo como referencial a temática do Cerrado e das questões ambientais locais.

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Fortalecer os Coletivos Jovens de Meio Ambiente de Goiás e suas ações;
integrar o movimento de juventude pelo meio ambiente com outras juventudes;
contribuir para a construção do Programa Estadual de Juventude pelo Meio Ambiente de Goiás;
possibilitar a discussão da juventude goiana acerca do seu papel na gestão ambiental local;
aprofundar nas discussões das Políticas Públicas de Juventude, em especial para as voltadas para a questão ambiental;
sensibilizar as juventudes, a partir de ações artístico-culturais, de maneira lúdica e emancipatória.


Garanta já sua inscrição, pois as vagas são limitadas. O evento contará com Palestras, Oficinas, Mini-cursos e Grupos de Trabalho para a construção do Programa Estadual de Juventude e Meio Ambiente.
Felizes os que participarão dessa festa!

=====

O que é o Coletivo Jovem de Meio Ambiente – CJ?

Os Coletivos Jovens de Meio Ambiente (CJs) nasceram em 2003, durante a Conferência Nacional Infanto-Juvenil pelo Meio Ambiente, promovida pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e Ministério da Educação (MEC). Os CJs foram co-responsáveis pela organização de todo processo de conferência nos estados, contribuindo no engajamento de outros jovens, seguindo o princípio “jovem educa jovem”.
Os Coletivos Jovens de Meio Ambiente “são grupos informais que reúnem jovens representantes ou não de organizações e movimentos de juventude que tem como objetivo envolver-se com a questão ambiental e desenvolver atividades relacionadas à melhoria do meio ambiente e da qualidade de vida. Esses coletivos são como redes locais, para articular pessoas e organizações, circular informação de forma ágil, pensar criticamente o mundo a partir da sustentabilidade, planejar e desenvolver ações e projetos, produzir e disseminar propostas, que apontem para sociedades mais justas e eqüitativas, dentre outras ações e realizações”, segundo “Coletivos Jovens de Meio Ambiente: Manual Orientador. MEC/2005”.

RESULTADOS INICIAIS

Compreendendo as ações do Coletivo Jovem de Meio Ambiente de Goiás, é importante destacar os principais resultados alcançados até o presente momento:
Realização dos Encontros de Juventude pelo Meio Ambiente de Goiás - 1ª edição em Goiânia (2006), 2ª edição em Silvânia (2007) e 3ª edição novamente em Goiana, em conjunto com o I Congresso Goiano de Educação Ambiental (2008) envolvendo cerca de 1000 jovens lideranças de todo o Estado;
realização de diversos encontros de formação do Coletivo Jovem de Meio Ambiente de Goiás, enraizando a Educação Ambiental por meio da formação de CJs Locais, presente em 30 municípios;
co-realização da I e II Conferência Estadual Infanto-Juvenil pelo Meio Ambiente, junto a SEDUC-GO, SEMARH-GO, IBAMA e Fórum de ONG’s Ambientalistas e construção da III Conferência Nacional Infanto-Juvenil pelo Meio Ambiente;
participação em diversos Encontros, Seminários, Conferências e Congressos, no âmbito da discussão de Juventude e Meio Ambiente e da Educação Ambiental;
parceria com o Programa “Vamos Cuidar do Brasil com as Escolas”, capacitando mais de 400 escolas de todo o estado de Goiás desde de 2003, formando as Comissões de Meio Ambiente e Qualidade de Vida nas Escolas – Com-Vida e a Agenda 21 nas Escolas;
realização do Evento: Os Olhares da Juventude sobre o “Tratado de Educação Ambiental” Encontro Nacional Preparatório para o VI Fórum Brasileiro de Educação Ambiental, reunindo jovens e educadores ambientais de todas as regiões do país – Pirenópolis, GO;
realização do Projeto Formando Com-Vidas 2008, financiado pelo FNDE/MEC e em parceria com a UNICAMP, SEDUC e IBAMA-GO que cria e fortalece, estas Comissões em 27 escolas públicas do estado de Goiás;
realização do I Ciclo de Debates sobre Mudanças Ambientais Globais, durante o mês de junho de 2008 em Goiânia, em parceria com a SEDUC-GO e IBAMA-GO;
coordenação da Rede de Educação e Informação Ambiental de Goiás (REIA-GO) desde 2007;
realização conjunta e secretaria do I Congresso Goiano de Educação Ambiental, reunindo mais de 1000 inscritos de todas as regiões do Estado e visitantes de diversos Estados Brasileiros;
coordenação da II Semana Integrada de Meio Ambiente de Goiás em junho de 2009, reunindo atividades de mais de 30 instituições da área ambiental de Goiás.
.
.
.