03/02/2010

Praias e
.
coliformes
.
fecais

O exemplo do Rio de Janeiro merece atenção já que em Goiás temos praias de rios como o Araguaia (foto) que, durante alta temporada, também sofre com queda na qualidade da água. Aqui os níveis normalmente ficam entre os aceitáveis, mas há o risco de chegar a níveis críticos também em praias que recebem milhares de pessoas como em Aruanã.

O monitoramento de rios em Goiás é realizado todos os anos, antes pela Agência Ambiental, atualmente Secretaria Estadual do Meio Ambiente, para informar à população em que condições estão as águas para banho, pesca, esportes nauticos e lazer de forma geral.

Cuidar do meio ambiente com a destinação correta do lixo, separ recicláveis, não jogar restos de alimentos no rio nem mesmo para cevar peixes, afastar banheiros sanitários e jiraus do rio pelo menos 20 metros e não poluir o rio com óleos de embarcações ou produtos químicos como detergentes ou sabão são práticas que contribuem para manter a qualidade da água. Principalmente nos acampamentos durante a alta temporada quando mais de 50 mil pessoas acampam no Rio Araguaia ou mais de 1 milhão de turistas passam somente por Aruanã, uma das cidades que margeiam o Rio Araguaia em Goiás mais procuradas durante a temporada de praia.

A matéria abaixo foi publicada pela Folha de S. Paulo on line.


Praia de Ipanema tem mais de 30 mil coliformes fecais em 100 g de areia, diz pesquisa

Diana Brito

Folha de S. Paulo Online

Um estudo sobre a qualidade da areia das praias cariocas divulgado nesta terça-feira pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente do Rio mostra que Ipanema, um dos lugares mais famosos na zona sul da cidade, apresentou um dos piores resultados do levantamento e, por isso, não é recomendada aos banhistas. Segundo o relatório, tanto Ipanema como Arpoador apresentaram 30 mil coliformes fecais em cada 100 gramas de areia.

O resultado da pesquisa apontou também que não são recomendadas a praia da Barra da Tijuca e a de Sepetiba, ambas na zona oeste, a José Bonifácio, em Paquetá, e a praia da Bica, na Ilha do Governador (zona norte).

A secretaria informou que o boletim corresponde ao período de coleta do dia 9 ao dia 23 de janeiro. As únicas praias que registraram a qualidade da areia considerada ótima por especialistas foram a da Reserva e Prainha, ambas na zona oeste.

Nos exames dos trechos não recomendados e regulares, foi encontrado grande número da bactéria Escherichia coli, que indica a presença de fezes humanas e de animais. O resultado da análise foi divulgado hoje no "Diário Oficial".

Novos exames serão feitos a cada 15 dias. A secretaria estuda o uso de placas nas praias para avisar sobre a qualidade da areia aos banhistas.

Resultado

Veja a lista completa dos resultados do estudo:

Até 10 mil coliformes - Classificação: ótima

Prainha
Recreio - Praia da Reserva

De 10 mil a 20 mil coliformes - Classificação: boa
Recreio - Praia do Pontal
Recreio - Praia da Macumba
São Conrado - Pouso da Asa Delta
Leblon - Bartolomeu Mitre
Leme
Copacabana - República do Peru
Copacabana - Barão de Ipanema
Botafogo
Flamengo
Ramos
Engenhoca - Ilha do Governador

De 20 mil a 30 mil coliformes - Classificação: regular
Praia Vermelha - Urca
Brisa - Sepetiba
Central - Urca
Guanabara - Ilha do Governador
Moreninha - Ilha de Paquetá
Imbuca - Ilha de Paquetá
Ipanema - Praia do Diabo
Copacabana - Souza Lima
São Conrado - Hotel Nacional
Leblon - Visconde de Albuquerque
Barra - Cond. Barramares
Barra - Quebra Mar
Guaratiba
Grumari

Acima de 30 mil coliformes - Classificação: não recomendada
Barra - Ayrton Senna
Barra - Pepe Ipanema - Arpoador
Bica - lha do Governador
Ipanema - Paul Redfern
Ipanema - Maria Quitéria
José Bonifácio - Ilha de Paquetá
Recôncavo - Sepetiba

Link direto para Folha Online

.
.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário