24/12/2010

Múltiplas formas
.
e ângulos do bioma
por João Caetano

"Não é que faço vista grossa para a devastação do Cerrado. Acho que as pessoas precisam conhecer a parte bonita do Cerrado. Trago a mensagem de que é possível preservar o cerrado por meio da beleza e da importância que ele representa hoje. Sou um link de um grande projeto. Foco na parte bonita porque meu projeto chama-se Uma Esperança Chamada Cerrado"


Sempre que há eventos, principalmente relacionados ao cerrado, João Caetano está participando, prestigiando com seus trabalhos. Ele participou recentemente do 16º Simpósio Ambientalista Brasileiro no Cerrado

A força da vida e a ousadia das cores no Planalto Central do Brasil captadas pelas lentes de João Caetano, um dos maiores fotógrafos do Cerrado

O por-do-sol proporciona belíssimas fotos no Cerrado que podem ser interpretadas. João Caetano tentou mostrar mais do que a beleza do momento. Há quem vê o mapa do Brasil na foto, ou um microscópio, ou uma bruxa... E isso torna interessante o trabalho com as imagens

A agressividade e beleza de plantas com espinhos. Muitas adaptações desenvolvidas durante milhares de anos

"Nesses 15 anos que abracei essa ideia já colaborei com muitas outras pessoas que conhecem o cerrado hoje. O cerrado não perde para bioma nenhum no mundo. Só que ele não tem o marketing que tem a Amazônia e a Mata Atlântica. Só quero mostrar o real"

João Caetano - Você espera que as pessoas façam leituras?

Wagner Oliveira - Exatamente. Fotografia é o momento que o artista capta. Quando você faz uma leitura similar ao que eu consegui captar significa que o trabalho valeu. É como uma obra de arte. Nunca deduzimos que uma obra de arte é sem graça ou feia. Vale é sua identificação com ela. Se você gostou, leva para sua casa. Meu trabalho é fundamentado nas formas da natureza


A foto lembra o Congresso Nacional com os dois prédios da Câmara dos Deputados e do Senado. Mas são cactus fotografados no belíssimo por-do-sol do cerrado

A riqueza das águas, das nascentes, dos pequenos rios que desaguam em rios maiores

Delicadeza de traços onde muitas espécies lembram mais o rústico

Foto de cena do documentário Olhar de João. Veja no final link para clipe no Youtube
.
Na canela de ema a força do broto depois de uma queimada. O cerrado resurgindo das cinzas

O por-do-sol nas águas dos rios goianos

Cachoeiras no cerrado: nascente de muitos rios que cortam o Brasil

A ousadia das cores "lavadas" pelo sol no cerrado

"Ao invés de fotografar só flores do cerrado eu fotografo também ele brotando. Parecem flores, mas são folhas. É um recurso a mais"

O cerrado para ser admirado, conhecido, respeitado

A vida em múltiplas formas no cerrado

O toque sutil da vida após uma queimada. Espécies que se desenvolvem rapidamente depois da passagem do fogo e início de período de chuvas

Por-do-sol no rio, na serra e no cerrado

Folhas, flores ou aves pousando? João deixa espaço para a imaginação além do real

"Quanto mais subjetiva a foto é, mais importante ela se torna. Tem gente que só vê uma flor mas eu vi pássaros. Como se pássaros estivessem pousando"

A cor neutra do branco despontando entre a cor quente amarela

Wagner Oliveira - Seu trabalho é reconhecido. Mas no início foi difícil? Ou sempre teve uma aprovação das pessoas para a temática Cerrado em fotografias?

João Caetano - Eu não tive problema de divulgação. Comecei em 1994 e, em 1995, eu estava em uma exposição no Rio de Janeiro; em 1998, no Japão. Depois fiz campanha sobre a Mata Atlântica, ganhei prêmios internacionais, Leão de Ouro no Festival de Cannes. Somaram 18 prêmios internacionais em 15 anos de carreira. Estive há pouco na Bélgica e em Paris. Não tive empecilhos não

Wagner Oliveira - Nessa época está chovendo. Se você sair pelo Cerrado qual é seu foco? O que você vai buscar? É a gota d’água?

João Caetano - É um trabalho de pesquisa de olhar mesmo. Inclusive meu documentário chama-se Olhar de João. Porque ele traz essa mensagem. Não importa se está na chuva ou no sol, na noite ou pela manhã. O importante é que busco imagens no Cerrado. Se estou na chuva busco algo ligado à água. Mas tudo se encaixa no proprósito da hora. Não importa se está queimado ou na fase da primavera. Porque o cerrado é uma primavera constante nos doze meses do ano


Close para imaginação

Sol e calor na medida exata para que as sementes se libertem e caiam na terra bem próximo do período de chuvas quando irão germinar

As cores "esculpidas" pelo sol no cerrado

"Nessa foto uma árvore seca, água e o céu. Três propostas: o cerrado como bioma, água e árvore seca, mas que traz uma mensagem muito bonita. Por isso que meu projeto chama-se Uma Esperança Chamada Cerrado. Gosto de agregar valor a uma foto. Mas sempre com a proposta de que ela sempre possa trazer uma reflexão"
.
Flores brancas de paz no Cerrado

Wagner Oliveira - Quem aprecia, valoriza mais o seu trabalho com foco no Cerrado? Somos nós que moramos no Cerrado ou quem mora em outro Estado ou país?

João Caetano - Com certeza é fora. A história que santo de casa não faz milagre é quase real. Mas a conscientização, hoje, é muito forte no Brasil. Principalmente São Paulo e Brasília fazem muito e acho isso importante.

.

Trailer Olhar de João

.
.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário