30/06/2011


Semarh intensifica
ações na temporada

A Operação Araguaia 2011 tem seu foco voltado às pessoas que praticarem atividades de pesca e que transportarem pescado dentro do Estado de Goiás. Todavia, também vai fiscalizar turistas e ribeirinhos que caçarem animais, desmatarem, construírem acampamentos irregulares, e que não proporcionarem uma destinação adequada de seus resíduos sólidos. Estabelecimentos comerciais também serão fiscalizados quanto à origem do pescado vendido.

A Operação contará com cerca de 80 pessoas, entre fiscais, servidores que prestarão apoio, equipes de educação ambiental e servidores do Ibama, que este ano trabalham em parceria com a Semarh. As equipes de fiscalização serão compostas por dois fiscais e cinco servidores de apoio técnico, e estarão dispostas em cinco postos permanentes - Rio Verdinho, Santa Fé, Bandeirantes, Aruanã e Rio Tesoura.

Vale lembrar que apenas os fiscais ambientais da Secretaria, além do Ibama, podem autuar os infratores do meio ambiente.

O trabalho é intensificado nesta época por ser considerada alta temporada, mas vai continuar durante todo o ano através do Programa Araguaia o Ano Inteiro. Este programa faz parte de um dos pilares do Programa Nova Semarh, em que equipes de educação ambiental permanecem nos municípios às margens do rio, conversando com a população e transmitindo práticas sustentáveis de proteção ao Araguaia, fazendo com que cada ribeirinho seja um guardião do Rio. Após o fim da temporada de férias, a Semarh vai manter as ações de fiscalização, apreensões e confisco de materiais de caça e pesca irregulares, além de peixes e animais capturados fora do que determina a lei.

A pesca e o transporte de pescado devem tem licença expedida pela Secretaria ou pelo Ministério da Pesca. É terminantemente proibida a pesca nos lugares e épocas interditados por atos administrativos da Semarh, em especial em cardumes e piracemas; que envolvam espécies ameaçadas de extinção, com tamanhos inferiores ao permitido; em quantidade superior à permitida e com uso de apetrechos e métodos não permitidos, tais como armadilhas tipo tapagem, redes, tarrafas, substâncias explosiva e substâncias tóxicas.

Os acampamentos e ranchos de pesca às margens dos rios e lagos ficam sujeitos à ação fiscalizadora da Secretaria, limitada à verificação do pescado e do material de captura. Encontrados material predatório ou vestígios de pesca predatória, ou na ocorrência de qualquer infração prevista nesta lei, poderão os acampamentos ou ranchos de pesca ser multados inclusive com apreensão do pescado e material predatório, incluindo-se aí barcos e lanchas. Os estabelecimentos hoteleiros, bares, restaurantes e similares, assim como feiras livres e ambulantes estarão sujeitos à ação fiscalizadora da Semarh.

O cidadão que estiver no Araguaia e testemunhar qualquer ato irregular que agrida a fauna e flora locais pode entrar em contato direto com o Disque Denúncia Ambiental, pelo número 0800-6462112. Este cidadão que denunciar não precisa se identificar. Uma equipe da Semarh vai conferir todas as denúncias com a maior rapidez possível.

Fonte: Site da Semarh
Comunicação Setorial/Brenno Sarques

. .

29/06/2011



Operação
Araguaia
2011





Equipes de fiscalização vão passar o mês de julho no Araguaia para coibir ações predatórias

A Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos – Semarh lança a Temporada de Praia do Rio Araguaia, às 8h45 desta quinta-feira dia 30 de junho, na unidade da Secretaria, no Setor Universitário. Na ocasião, o secretário Leonardo Vilela e toda a equipe de fiscalização vão estar reunidos para repassar os últimos detalhes desta que promete ser a maior operação de fiscalização no Rio Araguaia dos últimos dez anos. A partir do dia 1º de julho, um trabalho de fiscalização e educação ambiental será intensificado na região. São fiscais ambientais e servidores da Secretaria atuando durante trinta dias, 24 horas por dia. Estes servidores vão auxiliar no trabalho de fiscalização, mas apenas os fiscais ambientais da Secretaria, além do Ibama, podem autuar os infratores do meio ambiente.

A operação vai funcionar em cinco postos - Rio Verdinho, Santa Fé, Bandeirantes, Aruanã e Rio Tesoura – com equipes formadas por dois fiscais e cinco servidores para apoiar a fiscalização. “Nosso foco é promover a educação ambiental junto aos turistas, pescadores e ribeirinhos e autuar quem degradar o meio ambiente”, diz.

O trabalho da Semarh é intensificado nesta época por ser considerada alta temporada, mas vai continuar durante todo o ano através do Programa Araguaia o Ano Inteiro. Este programa faz parte de um dos pilares do Programa Nova Semarh, em que equipes de educação ambiental permanecem nos municípios às margens do rio, conversando com a população e transmitindo práticas sustentáveis de proteção ao Araguaia, fazendo com que cada ribeirinho seja um guardião do Araguaia. Após o fim da temporada de férias, a Semarh vai manter as ações de fiscalização, apreensões e confisco de materiais de caça e pesca irregulares, além de peixes e animais capturados fora do que determina a lei.

Fonte: site Goiás Agora
.
.

28/06/2011

Mensagem de despedida
de
Rachel Trajber

"Caros amigos. Caras amigas.

Esta é uma mensagem de minha despedida da Coordenação-Geral de Educação Ambiental do Ministério da Educação (onde fiquei de abril 2004 a junho 2011): mudo de lugar de trabalho, sigo na mesma causa.


Sinto-me honrada pela oportunidade ímpar de contribuir para a formulação e execução de políticas públicas em nossa nação, durante o governo do Presidente Lula, na competente gestão do Ministro Fernando Haddad. Tive autonomia e respeito para defender o bem comum, promover o enraizamento de um campo emergente e complexo do conhecimento; dedicar-me à educação integral, transformadora e sustentável.


Termina assim um ciclo de sete anos, repletos de intensas aprendizagens profissionais e afetivas construídas junto com tantos parceiros e parceiras jovens, adultos e crianças que confiaram nas políticas de educação ambiental no Brasil e pelo mundo. Tive a sorte de coordenar equipes maravilhosas. A todas essas pessoas sou imensamente grata e sei que pertencemos a uma mesma comunidade de destinos.


A missão continua. Aceitei o convite da Marina Silva para trabalhar no IMAS --Instituto Marina Silva (ainda em criação; e vale dizer que "ima" significa mãe em hebraico). Vamos construir um amplo projeto de educação não formal que contribuirá para a necessária transição para a sustentabilidade. A primeira ação será a mobilização de 1 milhão de jovens para a Rio +20, em parceria com movimentos de juventude.


Neste momento quero encontrar as forças necessárias para enfrentar os novos desafios que se colocam em meu caminho.


Um forte abraço,


Rachel Trajber

PS. Novo e-mail:
racheltrajber@hotmail.com

Leia também entrevista que Rachel Trajber concedeu a Educação Ambiental em Goiás: "É preciso trabalhar a educomunicação"
. .

19/06/2011

XIII FICA - FESTIVAL INTERNACIONAL DE CINEMA E VÍDEO AMBIENTAL

I Fórum Infanto-juvenil
de Meio Ambiente

Realizado na Cidade de Goiás dia 18 de junho com o tema: O que fica do FICA?

Durante o FICA: Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental foram realizadas projeções a noite em casas às margens do Rio Vermelho. Esta fica ao lado da antiga casa da poetisa Cora Coralina

Mesas formadas com oradores de cada turminha durante o I Fórum Infanto-juvenil de Meio Ambiente

Bandeira no Colégio Alcides Jubé onde foi instalado o Cinemão

Alegria durante as dinâmicas do I Fórum Infanto-juvenil de Meio Ambiente

Um dos trabalhos pede coleta seletiva de recicláveis na Cidade de Goiás. E muitos participantes também pediram os mesmos cuidados não só durante o festival mas o ano todo

Participação e reflexão nos grupos formados por idade

Cartaz do XIII FICA em 2011 afixado em vários locais da Cidade de Goiás

Dinâmicas no auditório com músicas de temática ambiental

Por-do-sol no Chafariz na cidade de Goiás

Superintendente Executiva da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos Jacqueline Vieira

Projeção em casa às margens do Rio Vermelho

Apresentação do Bloco do Bacalhau durante o I Fórum Infanto-Juvenil de Meio Ambiente na Cidade de Goiás

Cine Teatro São Joaquim com bandeiras de vários países

Yuara Crescencio (Semarh) e Viviane Penha e Vanessa Carvalho da Seduc preparando para expor os trabalhos em frente ao Palácio Conde dos Arcos

Público acompanha exibição de filme no Cine Teatro São Joaquim

Palestra de Wagner Oliveira sobre o cerrado de Goiás e a relação com as enchentes

Outro ângulo do Chafariz na Cidade de Goiás

Arlene e Kelen da Amma de Goiânia apresentando músicas e dinâmicas

Ludmila Crescencio preparando para expor os trabalhos do I Fórum Infanto Juvenil em frente ao Palácio Conde dos Arcos

Grupo de trabalho do I Fórum Infanto-juvenil de Meio Ambiente no XIII FICA

Artesanato representando os farricocos da Procissão do Fogareu

Mesa formada por oradores de cada turminha para apresentar os trabalhos

Vista da Casa da Ponte de Cora Coralina (a direita), e a ponte sobre o Rio Vermelho

Arlene e Kelen durante dinâmicas

Exposição dos trabalhos do I Fórum Infanto-juvenil de Meio Ambiente na frente do Palácio Conde dos Arcos

Presença dos participantes do I Fórum Infanto-juvenil no auditório da Universidade Estadual de Goiás na Cidade de Goiás

José Renato e integrantes da Maçonaria

Casas restauradas e preservadas no Centro Histórico da Cidade de Goiás

Muitos anos de história preservada na arquitetura do Centro Histórico de Goiás

Evento filmado

Coreto construído na década de 20 do século passado

Participação de todos e de cada um de nós

Grupo do Fica Limpo percorrendo ruas da Cidade de Goiás para manter a limpeza do evento

Palácio Conde dos Arcos na Cidade de Goiás

Trabalho mostra que depois do Fica fica lixo

Vista noturna do Rio Vermelho na Cidade de Goiás

Museu de Arte Sacra da Boa Morte

Eventos do XIII FICA no Colegio estadoal de Goiaz - grafia correta da época

Oradores no encerramento do I Fórum Infanto-juvenil de Meio Ambiente 2011

Casas do Centro Histórico de Goiás

Gabryelle de 10 anos passa sua mensagem por meio de desenho

Bela igreja de São Francisco de Assis bem próxima do Rio Vermelho

Superintendente da Semarh Jacqueline Vieira fala sobre a história do FICA

Luz do projetor no Colégio Estadual Professor Alcides Jubé: apresentações de filme durante o XIII FICA

Bloco do Bacalhau fazendo apresentações durante o I Fórum Infanto-juvenil de Meio Ambiente

Os trabalhos dos alunos em cima das pedras do calçamento da Cidade de Goiás

Maria Clara elaborando seu texto

As ruas de pedra durante o FICA. Mas o que fica do FICA? Cada um respondeu a pergunta

As monitoras de cada turminha apresentando trabalhos que se destacaram

Juventude bonita da Cidade de Goiás presente no I Fórum Infanto-juvenil de Meio Ambiente

Com a palavra os futuros realizadores do Fórum Infanto-juvenil de Meio Ambiente

A superintendente da Semarh Jacqueline Vieira agradeceu a organização do evento que contou com a participação de integrantes da Cidade de Goiás, da Maçonaria, UEG, Amma de Goiânia e Educação Ambiental da Semarh

Hora do lanche porque ninguém é de ferro. Mas logo depois foi o momento de apresentar trabalhos no auditório

Artesanato na Cidade de Goiás

Monitora apresenta trabalhos de seus aluninhos

Reunião de preparação das equipes que trabalharam no I Fórum Infanto-juvenil de Meio Ambiente

Orion de 10 anos deixando seu recado

Participação efetiva nas discussões

Yuara Crescencio, Hélio e José Renato preparando a recepção, credenciamento e distribuindo os materiais das oficinas utilizados pelos participantes do I Fórum Infanto-juvenil de Meio Ambiente.
.
.
.