16/01/2012

Reaberto o Parque Estadual
Altamiro de Moura Pacheco

.
O Parque Estadual Altamiro de Moura Pacheco está aberto novamente à visitação. Ele foi criado em 1991 e possui uma área de 2.131 hectares com o objetivo de conservar a biodiversidade, proteger os mananciais hídricos para abastecimento público (Ribeirão João Leite) e garantir a manutenção dos processos ecológicos locais. Mas estava fechado desde 2010 quando ocorreu um incêndio que destruiu grande parte da flora local. Foto/montagem representa um lobo guará no Parque Altamiro de Moura Pacheco observando o lago formado pelo Ribeirão João Leite

Onça pintada em banner exibido durante solenidade de reabertura do Parque Altamiro de Moura Pacheco. Espécie já observada dentro do parque

Entrada do Parque Altamiro de Moura Pacheco a partir da BR-060 entre Goiânia e Teresópolis de Goiás, depois da Polícia Rodoviária Federal, lado esquerdo. No local há mais de 480 espécies de plantas e cerca de 600 espécies de animais

O governador Marconi Perillo anunciou que o Parque Estadual Altamiro de Moura Pacheco e outras unidades de conservação estaduais vão ter a gestão compartilhada com o setor privado. E o secretário Estadual do Meio Ambiente Leonardo Vilela destacou que a gestão compartilhada dos parques é uma tendência mundial que já está sendo adotada pelo Governo Federal e por outros Estados. "Goiás também inicia o processo de concessão de suas unidades de conservação ambiental ao setor privado, por meio de um programa de licitação aberto, democrático e transparente. O setor privado vai administrar essas unidades de conservação conjuntamente com a Semarh para que elas possam servir aos seus propósitos.” (Site Goiás Agora)

A área onde hoje está o parque era fazenda de Altamiro de Moura Pacheco (Leia mais sobre ele no final desta matéria) e foi vendida para o Estado pela metade do preço desde que fosse trasformada em reserva ecológica. Várias outras áreas em Goiânia foram doadas pelo médico e farmacêutico que era amigo do então presidente Juscelino Kubtschek e foi o responsável pela desapropriação de terras para a construção da Capital Federal.

A beleza do tucano em banner exibido durante a reabertura do Parque Altamiro de Moura Pacheco

Foto do Google earth mostra área do parque antes do enchimento da Barragem do Ribeirão João Leite. A BR-060 corta a área ligando Goiânia a Terezópolis de Goiás e seguindo para Brasília

Foto de Leoiram/Goiás Agora mostra o lago do Ribeirão João Leite quando completou o enchimento total e começava a verter pela barragem. O parque está do lado direito na foto do lago e é importante para manutenção da qualidade da água do lago que abastece Goiânia

Trilha do Peba é uma das trilhas que podem ser visitadas no Parque Estadual Altamiro de Moura Pacheco. Visitas estão sendo agendadas

Muitas espécies encontradas mortas ou atropeladas nas estradas foram empalhadas. A seriema Cariama cristata é um exemplo de ave que vive na área do parque
Antes da criação do Parque no local existia a Fazenda Dois Irmãos que desenvolvia atividades de agricultura e pecuária. Hoje, o verde pode ocupar todo o espaço e garantir a existência de inúmeras espécies animais e vegetais. E a partir de agora o setor privado poderá ser o responsável pela manutenção e fazer com que o parque cumpra sua função, não só de preservar a biodiversidade do Cerrado, mas também de garantir que as áreas preservadas sirvam para pesquisa, ensino, visitação e lazer

Tamanduá-bandeira é uma das espécies encontradas no Parque Altamiro de Moura Pacheco. Fora de uma reserva e principalmente atravessando estradas esses animais correm muito risco de serem atropelados e mortos. Nos parques ou áreas de proteção estão mais seguros para darem continuidade a espécie

Arara canindé em banner exibido na reabertura do parque representa bem o cerrado goiano com árvores tortas mas também com grandes matas

Maquete mostra como será o Centro de Estudos do Cerrado no Parque Altamiro de Moura Pacheco. Parque vai contar com auditório

A superintendente Executiva da Semarh Jacqueline Vieira e o governador Marconi Perillo durante solenidade de reabertura do parque na segunda-feira, 16 de janeiro

Mata do Parque Altamiro de Moura Pacheco vista a partir da BR-060. Remanescentes do chamado Mato Grosso Goiano ou vegetação que existia no sul, sudoeste e noroeste de Goiás típica de floresta semicaducifólia ou mata seca. Mas dentro do parque pode se encontrar também locais com matas-ciliares e cerradão

Secretário estadual do Meio Ambiente Leonardo Vilela, superintendente Executiva Jacqueline Vieira, a gerente de Áreas Protegidas Gilvânia Maria e o superintendente de Áreas Protegidas Leopoldo Pacheco

"O secretário Estadual de Meio Ambiente Leonardo Vilela anunciou o investimento de R$ 68 milhões nas unidades de conservação de todo o Estado, sendo R$ 4 milhões para o Altamiro de Moura Pacheco. Esses recursos são de compensações ambientais dos grandes investimentos empresariais que causam impacto ambiental.
O secretário afirmou que novo modelo vai possibilitar que as unidades sejam melhor administradas, organizadas e preservadas. Leonardo Vilela salientou que o governo já foi procurado por muitos interessados em administrar os parques cobrando pelos serviços, mas também tendo uma série de obrigações para impedir incêndios, ações de predadores e de caçadores, cuidando realmente da unidade de conservação." (Site Goiás Agora)

O Parque Estadual Altamiro de Moura Pacheco - PEAMP foi criado pela lei nº 11.471 de 3 de julho de 1991. Suas terras estão dentro dos municípios de Goianápolis, Nerópolis, Teresópolis de Goiás e Goiânia

A superintendente de Fiscalização Gabriela De Val Borges (Semarh), o procurador-geral de Justiça em exercício Rodolfo Lima, a superintendente Executiva Jacqueline Vieira (Semarh) e o coordenador do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente Jales Mendonça (Ministério Público) e o superintendente de Políticas Ambientais Sérgio Evaristo (Semarh)

"Flora do Parque Altamiro de Moura Pacheco:

Açoita-cavalo, aroeira, angico, assa-peixe, bacuri, bálsamo, baru, cafezinho, caroba, cangerana, cedro, chichá, copaíba, cipó, farinha-seca, figueira, guapeva, guatambú-de-folha-larga, guatambú-de-folha-miúda, imbaúba, ingá, ipês, jacarandá, jatobá, jequitibá, jerivá, leiteiro, louro-pardo, macaúba, mamica de porca, maria-preta, marinheiro, moreira, monjoleiro, mulungu, mutamba, paineira, pata-de-vaca, pau-formiga, pau-jacaré, pau-jangada, peroba-rosa, pitanga-do-mato, pororoca, sangra d'água, sucupira-preta, tamboril e gonçalo-alves" (Cartilha Parque Estadual Altamiro de Moura Pacheco - Sebrae 2004)

"Animais do Parque Altamiro de Moura Pacheco:

Capivara, garça, perereca, rã, sapo cururu, sapo comum, sapo boi, anta, cachorro do mato, coelho tapiti, cateto, furão, gambá, gato mourisco, jaguatirica, jaratataca, lobo guará, lontra, macaco guariba, macaco-prego, mão pelada, mico estrela, morcego, paca, preá, quati, raposa, rato-do-mato, tamanduá, tatu folha, tatupeba, veado-mateiro, cágado, calango, cobras, jabuti, lagartixa, muçurana, teiú, anum-preto, e anum-branco, beija-flor, bem-te-vi, canário, codorna, coruja, joão-de-barro, pardal, periquito, perdiz, pica-pau, pomba, quero quero, rolinha, sabiá, sanhaço, saracura, seriema, socó, sofrê, tiê-do-cerrado, tico-tico-da-mata, tiziu, tucano, urubu, arara, papagaio, gavião, inhambu e outros" (Cartilha Parque Estadual Altamiro de Moura Pacheco - Sebrae 2004)

Maquete mostra uma aldeia de grupos caçadores coletores do período pré-histórico exposta no Museu Jesco Von Puttkamer da PUC Goiás
.
Na área do Parque Altamiro foram encontrados sítios arqueológicos de uma antiga aldeia que comprovam a existência de grupos indígenas. Há publicações que trazem que são da fase Mossâmedes e viveram no local provavelmente entre 15 e 5 séculos atrás - época do descobrimento do Brasil. "Por volta do século V habitavam índios da comunidade Kayapó do Sul (grupo ceramista e horticultor). Com a chegada do homem branco os índios abandonaram a região e foram para outras áreas." (Cartilha Parque Estadual Altamiro de Moura Pacheco - Sebrae 2004)

Urna funerária encontrada em sitio arqueológico no Parque Altamiro de Moura Pacheco, lado direito da BR-060. Foto faz parte do acervo do Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia da PUC Goiás

Máscara de fibra vegetal usada em rituais no período contemporâneo pelos índios Kayapó - PA. Acredita-se que os Kayapó do Sul é que habitaram área onde hoje existe o Parque Altamiro de Moura Pacheco. Mas pesquisadores preferem falar que eram índios da tradição Aratu, sem afirmar que sejam especificamente os Kayapó, explicou-me a professora doutora Sibeli Aparecida Viana, diretora do Instituto Goiano de Pré-História e Antropologia da PUC Goiás

Árvores grandes, típicas de matas, são encontradas no Parque Altamiro de Moura Pacheco e podem ser observadas por quem passa pela BR-060 que liga Goiânia a Anápolis e Brasília. O parque está a 22 quilômetros de Goiânia e a 25 quilômetros de Anápolis

Couro de onça pintada que foi exposto no Parque agropecuário em Goiânia. Sem as áreas de proteção ambiental os animais não conseguiriam sobreviver diante da ocupação humana de todo o territorio. Fora de áreas de proteção os animais podem ser alvos fáceis de caçadores

Quem foi Altamiro de Moura Pacheco

"Nasceu no dia 15 de março de 1896 em Bela Vista de Goiás e faleceu no dia 10 de junho de 1996 aos 100 anos de idade. Diplomou-se em Farmácia, em 1928, pela Escola de Farmácia e Odontologia de Goiás e Medicina, em 1933, pela Faculdade Fluminense de Medicina, de Niterói. Fundou, em 1938, o Instituto Médico-Cirúrgico de Goiânia, em 1941, a Sociedade Goiana de Pecuária e, em 1945, o Banco Agropecuário do Estado de Goiás S/A. Foi Presidente da Comissão de Cooperação para a Mudança da Capital Federal. Presidiu a Sociedade da Faculdade de Medicina de Goiás e a solenidade de inauguração da referida Faculdade em Goiânia, no dia 21 de abril de 1960. Publicou Realidade e Ficção; Civismo em ação; Rochedo e Ferrolho e Discursos, todos em 1968. Discurso, em 1969; Sonhando com minha terra e Xavier de Almeida, meu patrono, em 1974. Criador de gado e dono de terras, Altamiro também fundou a Sociedade Goiana de Pecuária e Agricultura e foi o idealizador das feiras agropecuárias de Goiânia. Na Academia Goiana de Letras Altamiro de Moura Pacheco é ocupante da cadeira nº 26. Patrono 1º ocupante." (Academia Goiana de Letras)
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário