10/03/2012

TELA VERDE EM NIQUELÂNDIA
"O mais importante é
cuidarmos da nossa casa"
.
Gabriele Soares, 9 anos, vê o vídeo Urso Despolar durante trabalho de educação ambiental em Niquelândia, cidade a 485 quilômetros de Goiânia. Trabalho da Semarh levou ao município o programa do Ministério do Meio Ambiente Circuito Tela Verde para estudantes e professores. Em 2011 o Programa Paz, Amor e Educação Social - PAES trabalhou os 8 Jeitos de Mudar o Mundo, que são os 8 Objetivos do Milênio e, em 2012, está trabalhando o tema: Qualidade de vida e respeito ao meio ambiente.
Clique nas fotos para salvá-las
Estudantes de Niquelândia no Cine Teatro do Centro de Convenções e Cultura Paulo Rocha assistindo ao Circuito Tela Verde. Participaram 80 alunos do Projeto Social PAES - Paz, Amor e Educação Social, do Instituto Paulo Rocha, e mais 300 alunos da Escola Municipal São José, Escola Tomás Adorno, Escola Joaquim Taveira e Universidade Estadual de Goiás - UEG

Logomarca do Circuito Tela Verde

Comentário da professora pós graduada em gestão e educação ambiental Valdina Nunes: "O vídeo Coleta Seletiva Solidária da UnB mostra o que ocorreu no grande Centro que é o Distrito Federal mas pode ser comparado com Niquelândia. Onde existem seres humanos existe lixo. Precisamos repensar nossa prática sobre tudo que usamos e precisamos usar. Na verdade acabamos comprando muitas coisas desnecessárias para o nosso dia-a-dia. Niquelândia faz parte desse vídeo porque nós temos o depósito de lixo, que é uma prática errada. E temos o aterro sanitário que já está concluído. Os alunos da Escola São José participam do Programa Agrinho que trabalha questões ambientais, mas infelizmente a prática é difícil. O vídeo mostrou que devemos separar no seu devido lugar e o que tiver condição de reaproveitar, ser reaproveitado. Com essa demanda de lixo que produzimos no dia a dia, principalmente nos grandes centros, estamos destruindo o planeta. E o planeta é nossa casa. Se não fizermos por onde diminuirmos esse desgaste do planeta daqui a alguns dias não teremos mais água. E se não tivermos água não haverá vida. E se não houver vida não haverá necessidade de ter o planeta Terra"

Circuito Tela Verde no Centro de Convenções e Cultura Paulo Rocha em Niquelândia

Professora de educação física do PAES Carmem Lúcia: "Nós do PAES temos trabalhado essa questão. Este ano vamos dar ênfase à qualidade de vida e respeito ao meio ambiente. A oficina de educação física ficou responsável por este item. Quanto a iniciativa da Semarh que é muito importante, é uma fantástica ideia passarmos em vídeo como vive a comunidade próxima da gente. O PAES está firmando uma parceria não só com a Semarh mas também com a Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Niquelândia. Estamos pertinho de Brasília e por que não seguir o exemplo da UnB? Mostrar para a comunidade o que acontece, como acontece e que somos responsáveis por fazer. Só que isso tem de ser feito pela comunidade onde estamos inseridos. E outra questão é a da coleta seletiva. Como se faz a coleta seletiva se na própria região não existe o local apropriado. Firmando parcerias, buscando e agindo dentro de casa poderemos produzir um vídeo mostrando como era e como pode ficar Niquelândia. Só que isso depende de todos nós. Vamos lutar para que no lugar onde aparece no vídeo Universidade de Brasília esteja Niquelândia"

Pôr-do-sol no lago de Serra da Mesa em Uruaçu, na viagem a Niquelândia

Bióloga, professora da UEG de Niquelândia e superintendente da Secretaria Municipal de Meio Ambiente Geane Cristine: "Trabalhamos muito silenciosamente a questão dos resíduos sólidos em Niquelândia. Temos um aterro sanitário com manta impermeabilizadora, lagoas de tratamento do chorume... Só não temos a coleta seletiva. Por que não temos coleta seletiva? Porque é uma questão cultural. Tem de partir de vocês pequenininhos, aprenderem e ensinarem o papai e a mamãe. Ouvimos muito nossos filhos. Tenho um menino de cinco anos e ele me ensina muito. Estamos tentando implantar uma coleta semi-seletiva porque é mais fácil estarmos separando os orgânicos dos recicláveis. Íamos pegar uma comunidade, um bairro e por dificuldades administrativas não tivemos como iniciar ainda este projeto. A Votorantim começou este projeto de aprendizagem de reciclagem no Acampamento Macedo. Em Niquelândia, estamos aguardando uma conscientização da comunidade para implantar a coleta seletiva. Vamos ficar todos fiscais do meio ambiente, principalmente as crianças. Falar para os papais e mamães não jogarem lixo nas estradas porque temos o local certo que é o aterro sanitário. A Lei Nacional dos Resíduos Sólidos veio para ajudar. Daqui até o final de 2015 temos de nos adequar. Separar caixinhas de leite, garrafas de refrigerante, tudo que for reciclável. Isso vai fazer parte da nossa realidade daqui a três anos. A Secretaria Municipal do Meio Ambiente está aberta para tirar dúvidas"

Diretora do Colégio Tomaz Adorno, Maria Jovelina: "Estar ouvindo e aprendendo coisas tão importantes para nossa vida é muito bom. Nós, brasileiros, temos o privilégio de viver em um país maravilhoso. Uma país que tem tudo de bom. Tudo que precisamos para sermos felizes. Somos invejados por outras nações. Temos o Japão, uma potência muito grande, que vende muitos eletroeletrônicos mas não têm a beleza da nossa natureza. Eles morrem de inveja da nossa Amazônia. Morrem de inveja das nossas cachoreiras, das nossas água porque lá é um país que não tem como plantar, colher. Eles vivem em um lugar chamado Círculo de Fogo onde há muitos vulcões. Se temos essas belezas, essas maravilhas que muita gente importante gostaria de ter e não tem compete a nós todos, gente jovem, pequena, grande, cuidar. Eu vi no vídeo como se produz o papel, começa no corte da árvore para fazer papel. É um trabalhão, gasta água que é fundamental para a vida, polui o meio ambiente. E a criança vai fazer um "A" no caderno, faz um "O" e só por isso rasga a folha e joga debaixo da carteira. Pode ser uma folha só. Mas imagine que temos milhões de alunos nas escolas do Brasil, somos uma população de cerca de 190 milhões de brasileiros. Se cada um jogar uma folha no chão quantas árvores no final do dia precisará ser cortada neste país? Vamos virar um Japão. Vamos ficar sem árvores, natureza, sem aves. Quem está aqui hoje vai levar uma mensagem para a vida inteira. O mais importante é cuidarmos da nossa casa que é o nosso planeta. O nosso país é cobiçado mas para ele continuar ser importante temos de cuidar. Começando da folha de papel que jogamos fora"

Casas históricas em Niquelândia. Na curva da rua uma das casas com um coqueiro no quintal forma um belo conjunto com as serras ao fundo. Mas mesmo com casas históricas a rua é aberta ao trânsito de ônibus e caminhões, diferentemente do Centro Histórico de Goiás e Pirenópolis, já que veículos pesados podem abalar a estrutura das casas centenárias

"A Semarh pretende apoiar a educação ambiental desenvolvida nos municípios por meio do Circuito Tela Verde fornecendo material áudio-visual autalizado e com grande atratividade para o público, evitando a geração de produtos em papel", diz o gerente de educação ambiental Hugo Leonardo

Entrada do Cine Teatro Paulo Rocha em Niquelândia

Gabriele Soares, 9 anos: "Eu entendi com o vídeo que é bom reciclar porque se não reciclarmos podemos pegar muitas doenças. Enquanto os pais da menina estavam dormindo ela estava desligando o ventilador, fechando a torneira, cuidando do lixo..."

Composição da mesa com professoras debatedoras dos vídeos apresentados. Valdina Nunes, da Escola São José; Carmem Lúcia, do projeto PAES e a professora e diretora da UEG Leni Rocha

Sino da Igreja de Santa Ifigênia que foi construída pelos escravos

Exibição do vídeo de abertura do Circuito Tela Verde em Niquelândia

Trilhos da Ferrovia Norte Sul que passam por Uruaçu, no caminho para Niquelândia

Repasse de cópias de 5 DVDs do Circuito Tela Verde para a coordenadora pedagógica do PAES Solange Fernandes de Carvalho

Ana Lúcia conhecendo os casarões antigos de Niquelândia

Educação ambiental em Niquelândia com apresentações de vídeos comentados por professores e alunos

Banner na sede do PAES - Paz, Amor e Educação Social

Professora de língua portuguesa e vice-diretora Maria Luzia: "Acho muito importante o trabalho que está sendo realizado hoje. Essa conscientização começa aqui e espero que tenha continuidade em casa. Nós do Colégio Tomaz Adorno temos um projeto neste sentido. Temos a professora Maria Geralda que costumo dizer que ela é "defensora doente" do meio ambiente. E todos nós devemos seguir o exemplo dela. O meio ambiente é muito importante para nossa vida. E que o que nós aprendemos hoje seja colocado em prática. Percebemos principalmente na questão do papel. Temos pedido demais para os alunos não jogarem papel no chão. Sempre tem uma lixeira, vamos evitar jogar esse papel em qualquer canto. A nossa vida depende disso. Vamos lutar pela nossa vida, pelo futuro dos nossos filhos, dos nossos netos. Temos de contar com nossa sociedade. Está faltando muito de Niquelândia"

"A arte da vida consiste em fazer da vida uma obra de arte"

A aluna do PAES de 7 anos Laurena Cristine com seus colegas de Niquelândia: "Temos de separar o lixo para não poluir o meio ambiente e não ficarmos doentes"

"Em busca de mentes capazes e de corpos perfeitos"

Robert Souza, 10 anos, da Escola São José comenta o vídeo: "As bolinhas vermelhas que subiam no vídeo era poluição, gás carbônico. Chove poluido"


No Centro histórico de Niquelândia

Apos Circuito Tela Verde no Cine Teatro Paulo Rocha, em Niquelândia. Equipe do PAES é formada pela assistente social Vera Lúcia, professora de educação física Carmem Lúcia, professora de Leitura e escrita Maria Cristina, secretária executiva Cristiane Pimentel, monitores Mailton e Geovana.

"Dança... Uma linguagem possível para um mundo melhor"

Auditório com crianças de várias escolas de Niquelândia

"O nosso caminho é feito pelos nossos próprios passos... Mas a beleza da caminhada depende dos que vão conosco"

Trabalho de alunos do PAES

Igreja de Santa Ifigênia (estilo de arquitetura colonial com paredes de adobe e aroeira), construída pelos escravos por volta de 1790 porque não era permitido a eles frequentar os centros religiosos dos brancos

"Jogar aprendendo e aprender jogando"

Trabalho de alunos do PAES retratando igreja de Santa Ifigênia - Niquelândia

Palestras no matutino e vespertino em Niquelândia

"Ninguém é tao grande que não possa aprender, nem tão pequeno que não possa ensinar"

"O significado das coisas não está nas coisas em si, mas sim em nossa atitude com relaçao e elas"

Igreja de Santa Ifigênia em trabalho de colagem de alunos do PAES

"A música é um dos caminhos que conduzem a sabedoria"

"Nenhum caminho é longo demais quando um amigo nos acompanha!"

"Nada é difícil se for dividido em pequenas partes"

Participação de alunos com seus comentários

"A leitura engrandece a alma"

Elton contando a experiência de ter encontrado dois filhotes de onça e ter fotografado-os. Mas enquanto estava fotografando as oncinhas foi avisado por um colega que mãe estava bem perto, em cima de uma pedra só observando ele. "Fui saindo bem devagar e entrei no carro"

Cristiane Pimentel Carvalho apresentando um cantinho de leitura do PAES de Niquelândia

Coordenadora Solange Fernandes e a presidente do Instituto Paulo Rocha Lucíula Rocha

Cristiane Pimentel Carvalho apresentando as publicações do PAES de Niquelândia

Alunos deslocando-se das escolas ao Cine Teatro Paulo Rocha

Milena Gomes, 11 anos, comenta vídeo: "O urso estava tendando fugir mas estava derretendo tudo. Nós estamos prejudicando nós mesmos com o aquecimento global. No outro vídeo a menina estava recolhendo o lixo. É o nosso dever"

Após Circuito Tela Verde essa turma preparando para ir embora de ônibus

Ana Lúcia observando decoração do PAES

Professoras de Niquelândia que participaram do Circuito Tela Verde no Cine Teatro Paulo Rocha

"Cada criança ao nascer traz-nos a mensagem de que Deus ainda não perdeu a esperança no homem. (Tagore)

Jocélio, 9 anos, da Escola São José: "Reciclar é muito bom para a saúde"

Ana Lúcia Parrode nas ruas de Niquelândia

PALESTRA NA UEG
DE NIQUELÂNDIA


Bióloga e professora Geane Cristine na abertura da palestra em Niquelândia

Alunos da UEG de Niquelândia

Diretora da UEG Leni Rocha: "Em nome dos acadêmicos e toda a esquipe da Universidade Estadual de Goiás, Unidade de Niquelândia, queremos agradecer o Wagner e sua equipe. Sua palestra veio enriquecer nossos acadêmicos do curso de Mineração e Turismo. A UEG Unidade de Niquelândia só tem a agradecer"

Durante palestra na UEG de Niquelândia

Com alguns dos alunos depois da palestra na UEG de Niquelândia. Obrigado pela oportunidade!!!



Nenhum comentário:

Postar um comentário