29/02/2012

A maior discussão sobre

meio Ambiente em Goiás

Conferência Estadual de Meio Ambiente acontece a partir desta quinta-feira, dia 1º de março, e vai discutir a preservação do bioma Cerrado e da água

A 3ª Conferência Estadual do Meio Ambiente de Goiás será a maior discussão já feita no Estado sobre a temática ambiental e a preservação do bioma Cerrado e da água. O evento vai acontecer a partir desta quinta-feira, dia 1º de março, e vai durar até o sábado, dia 3. Vão ser três dias de intenso debate sobre o contexto ambiental, assuntos atuais e que precisam ser aprofundados. A abertura será no Salão Lago Azul do Centro de Cultura e Convenções de Goiânia, a partir das 20 horas do dia 1º.

As discussões e plenárias, na sexta (2) e no sábado (3), das 8 às 18 horas, vão acontecer no Hotel Serras de Goyaz, que fica na Avenida Paranaíba, Centro. A Conferência é realizada pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh). Os preparativos começaram em agosto do ano passado, com a realização de 33 etapas municipais e, depois, de 11 regionais para discutir, de acordo com o contexto local, a temática central:
Cerrado Rio+20: Economia Verde no Contexto do Desenvolvimento Sustentável e da Erradicação da Pobreza.

Nas regionais, que envolveu os 246 municípios do Estado, foram eleitos 120 delegados, representantes dos diversos setores da sociedade. Eles vão se reunir, agora, na Estadual e apresentar as demandas acertadas em cada região. Além deles, o evento é aberto ao público e qualquer pessoa pode participar, integrando os grupos de discussão. Para isso, basta comparecer no dia da abertura e realizar o cadastramento. Uma equipe da Semarh vai estar no Centro de Convenções a partir das 17 horas de quinta-feira (1º) para garantir a inscrição a tempo dos participantes acompanharem a solenidade, com presença do governador Marconi Perillo e do secretário de Meio Ambiente, Leonardo Vilela.


Goiás se antecipa aos demais estados do Brasil e é o primeiro a colocar em pauta a convenção das Nações Unidas, que acontece em junho, no Rio de Janeiro: a Rio+20. O evento vai reunir chefes de estado do mundo inteiro na capital carioca e, este ano, vai contemplar entre os temas o bioma Cerrado. Também chamado de ‘savana brasileira’, de clima tropical semiárido, relevo diversificado e solos distróficos (com poucos nutrientes e ácidos), o bioma possui mais de 12 mil espécies de vegetais, mais de 1,8 mil espécies de animais e ocupa uma área de 24% do território brasileiro, sendo que apenas 3% dela estão protegidos por unidades de conservação. Daí a urgência em discutir medidas de preservação.


Para ampliar a discussão, visando o fortalecimento e aprimoramento da política estadual de Meio Ambiente, o tema central foi dividido em cinco plataformas. São elas:
1 - Agroextrativismo: Coleta e Aproveitamento da Biodiversidade Nativa Combinada com a Produção Agrícola e Pecuária; 2 - Política Estadual de Resíduos Sólidos: Estudos de Regionalização da Gestão Integrada dos Resíduos Sólidos; 3 - PSA – Pagamento por Serviços Ambientais: Processo de Valorização da Vegetação Nativa. Remuneração pela Conservação do Meio Ambiente; 4 – Unidade de Conservação e ICMS Ecológico: Mais Repasse para Municípios que Preservam; 5 – Comitês de Bacias Hidrográficas e Participação Democrática. No momento da inscrição, a pessoa escolhe em qual deseja participar.

Programação
Abertura

Dia
: 1º de março (quinta-feira)
Horário
: 20 horas
Local
: Salão Lago Azul - Centro de Cultura e Convenções de GOiânia
Observação
: A partir das 17 horas, uma equipe da Semarh vai estar no local para iniciar o cadastramento dos participantes. A inscrição é gratuita.

Discussões e plenárias

Dias
: 2 e 3 de março (Sexta e sábado)
Horário
: das 8 às 18 horas
Local
: Hotel Serras de Goyaz, Avenida Paranaíba, n°1.445, Centro.
Ponto de referência
: Fica em frente ao Ginásio Rio Vermelho.

Informações
: (62) 3201-5196

Informações: Galtiery Rodrigues
Fonte: Site da Semarh


25/02/2012

CONFERÊNCIA EM GOIÂNIA
Consciência ambiental

Praça do Bandeirante nas avenidas Anhanguera e Goiás, no Centro de Goiânia. A cidade foi fundada em 24 de outubro de 1933 e, portanto, vai completar 80 anos em 2013. É a capital de Goiás desde 1937 e destaca-se pela quantidade de áreas verdes por habitantes

Carolina Fernanda e Kelly da Silva participam da plenária da Conferência Regional de Meio Ambiente de Goiânia votando nas propostas apresentadas pelos grupos de trabalho

Centro de Goiânia com prédios construídos nas últimas sete décadas

Participação de vários segmentos na Conferência Regional de Meio Ambiente em Goiânia

Edifícios modernos atualmente

Representante do Secretário Estadual de Meio Ambiente Leonardo Vilela, a superintendente Executiva da Semarh Jacqueline Vieira disse que é importante na discussão Rio+20 discutir Cerrado+20. "O que era o Cerrado há 20 anos e o que é hoje? Não só em termos de preservação ambiental, mas de consciência ambiental. Precisamos é de consciência ambiental. Se conseguirmos elevar a consciência ambiental, com certeza vamos ter preservação ambiental"


Detalhe do Monumento às três Raças, da escultora Neusa Moraes, na Praça Cívica

Participantes da conferência no Auditório da Fieg

Viaduto Latif Sebba na Praça do Ratinho

Representantes de mais de 10 municípios presentes na conferência

O morro do Mendanha com as antenas de TV visto a partir do Centro de Goiânia

Conferência Regional de Meio Ambiente em Goiânia foi realizada no Auditório da Federação das Indústrias do Estado de Goiás - Fieg

Detalhe de telhados na Rua 7, Centro de Goiânia

Presidente da Fieg Pedro Alves

Detalhe de colete de ONG

Delegado da Delegacia Estadual de Meio Ambiente Luziano Carvalho

A cidade também cresceu para a região norte

Palestra de abertura do evento em Goiânia

Grupo ICMS Ecológico

Prédios e prédios a partir do Centro de Goiânia e na direção sul

Grupo sobre Bacias Hidrográficas

Grupo discute Resíduos Sólidos

Grupo discutie e elabora propostas sobre agroextrativismo

Da Praça Cívica para o morro do Mendanha

Secretária de Meio Ambiente de Nova Veneza Eliane Maria Gonçalves friza que é preciso ter propostas para se conseguir recursos. "Precisamos de recursos nos municípios. Recursos, recursos, recursos"

Os vários ângulos do Centro de Goiânia

Participação de cada município

Palácio das Esmeraldas e, ao fundo, o Palácio Pedro Ludovico Teixeira na Praça Cívica

Participação de Nerópolis com Rosisley Maria e Maria Rosa na Conferência Regional de Meio Ambiente em Goiânia

Monumento às três Raças na Praça Cívica

Tiago e Regina Célia da Amma

Detalhe de telhado de loja na Avenida Anhanguera

Luiz André do IFG

Delegados escolhidos em Goiânia que vão participar da Conferência Estadual de Meio Ambiente de 1 a 3 de março em Goiânia

Suellen Pereira da Costa da Semma de Aparecida de Goiânia

Parte da equipe da Semarh na Conferência Regional de Meio Ambiente em Goiânia



22/02/2012

Conferência Estadual de
Meio Ambiente em março

Foto: Conferência Regional em Luziânia

A Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos realiza nos dias 1º, 2 e 3 de março a 3ª Conferência Estadual de Meio Ambiente. No primeiro dia de evento, o cadastramento será às 17 horas e a abertura às 20 horas, no Salão Lago Azul, no Centro de Convenções. Nos dias 2 e 3 as discussões acontecem das 8h às 18h, no Hotel Serras de Goyaz, no Centro, em Goiânia.

Desde outubro do ano passado, a Secretaria realizou onze etapas regionais em diferentes locais do Estado como forma de preparação para esta Conferência Estadual de Meio Ambiente. Os participantes discutiram diversos assuntos como, por exemplo, sobre as bacias hidrográficas e a gestão de recursos hídricos e também debateram sobre a temática Cerrado Rio + 20: Economia Verde no Contexto do Desenvolvimento Sustentável e da Erradiação da Pobreza. Mais informações: (62) 3201-5196

Fonte: Site Goiás Agora

15/02/2012

'Carnaval Mais Verde'

Senhor Antônio em um dos mirantes no Parque Estadual da Serra de Caldas Novas. Ele trabalha há quase 30 anos no local

A Secretaria Estadual do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos - Semarh vai desenvolver de 17 a 22 de fevereiro uma ação no feriado de Carnaval em quatro parques estaduais com o objetivo de promover o turismo ecológico de forma responsável e consciente em áreas especialmente protegidas no Estado de Goiás.

O trabalho será realizado nos parques Estadual da Serra de Caldas Novas, Estadual dos Pirineus, Estadual Altamiro de Moura Pacheco e Estadual de Terra Ronca.

Rio próximo ao Parque Estadual de Terra Ronca

A ação da Superintendência de Unidades de Conservação, por meio da Gerência de Áreas Protegidas da Semarh, será por meio de planejamento e monitoramento, fiscalização e educação ambiental e vai de encontro aos objetivos previstos na Lei nº 14.247, de 29 de julho de 2002, que institui o Sistema Estadual de Unidades de Conservação no Estado de Goiás.

Destaque para alguns dos objetivos da lei que são: proteger paisagens naturais e pouco alteradas de notável beleza cênica; proteger as características relevantes de natureza geológica, geomorfológica, espeleológica, arqueológica, paleontológica e cultural; proteger e recuperar recursos hídricos e edáficos; favorecer condições e promover a educação e interpretação ambiental, a recreação em contato com a natureza e o turismo ecológico.

A Educação Ambiental da Semarh vai estar neste trabalho que você acompanha em breve aqui em Educação Ambiental em Goiás.

Leia mais sobre os Parques Estaduais em Goiás

Gota d'água no calcário

Parque da Serra de Caldas

Parque de Pireneus

Parque da Mata Atlântica em Goiás






11/02/2012

II Congresso Goiano de Educação Ambiental
II Congea pode ser em outubro

Fotos do I Congresso Goiano de Educação Ambiental em 2008

Em reunião da Rede de Educação e Informação Ambiental (REIA-Goiás) no dia 10 de fevereiro na Universidade Salgado de Oliveira (Universo) a professora Rosa Viana sugeriu a realização do II Congresso Goiano de Educação Ambiental - Congea - para o mês de outubro de 2012. E a coordenação do evento poderá ser da Cooperativa de Agricultura Familiar de Itapuranga (Cooperafi), informou a técnica do Projeto Renascer da Cooperafi, Luanna Guimarães.

O I Congresso Goiano de Educação Ambiental foi realizado em 2008 e teve a coordenação da professora Sandra de Fátima Oliveira, da Universidade Federal de Goiás (veja vídeos abaixo). Evento no Campus II da UFG teve mais de 1200 inscritos.

Professora Rosa Viana durante dinâmica na reunião da REIA-GO na Universidade Salgado Oliveira, em Goiânia

A próxima reunião da REIA-GO será no dia 9 de março, as 14 horas, na Universidade Salgado Oliveira - Universo. E a pauta será discutir e detalhar como será o II Congresso Goiano de Educação Ambiental e qual será a participação de cada instituição.

Luanna Guimarães: "A Cooperafi poderá coordenar o II Congea"

Em abril está prevista reunião da REIA no dia 13, as 14 horas, na Secretaria Municipal de Educação. Em maio a reunião da REIA será no dia 3, as 14 horas, na Secretaria Estadual do Meio Ambiente - Semarh. No dia 1º de junho está prevista outra reunião da REIA-GO na Secretaria Estadual de Educação - Seduc, as 14 horas.

Há uma indicação de que a professora Rosemeire Mateus (Seduc) represente a REIA-GO no VII Fórum Brasileiro de Educação Ambiental em Salvador - Bahia que será realizado de 28 a 31 de março de 2012. Um estande da REIA-GO será montado no evento e poderá apresentar em banners os trabalhos de educação ambiental realizado em Goiás. Para isso as entidades precisam preparar seus banners e apresentá-los na próxima reunião em março.

Veja vídeo de 2008


Outro vídeo exibido na TV em 2008


08/02/2012

Goiânia sedia Conferência
Regional de Meio Ambiente

.
.
Foto: Conferência Regional de Meio Ambiente em Porangatu

Será realizada nesta quinta-feira, 9 de fevereiro, a Conferência Regional de Meio Ambiente em Goiânia.

O evento vai das 8 às 18 horas no auditório da Federação das Indústrias de Goiás (Fieg), Avenida Araguaia, Centro de Goiânia. A entrada é franca e o evento é organizado pela Semarh.

Foram convidados 20 municípios que fazem parte da região metropolitana: Abadia de Goiás, Aparecida de Goiânia, Aragoiânia, Bela Vista de Goiás, Bonfinópolis, Brazabrantes, Caldazinha, Caturaí, Goianápolis, Goiânia, Goianira, Guapó, Hidrolândia, Inhumas, Nerópolis, Nova Veneza, Santo Antônio de Goiás, Senador Canedo, Terezópolis de Goiás e Trindade.
.
.

06/02/2012

CONFERÊNCIA REGIONAL EM LUZIÂNIA

Do ouro ao meio ambiente
Momento de inscrições de delegados e participantes da Conferência Regional de Meio Ambiente em Luziânia. Evento contou com representantes de Abadiânia, Água Fria de Goiás, Corumbá de Goiás, Cristalina, Formosa, Luziânia, Mimoso de Goiás, Valparaíso de Goiás, Novo Gama, Cocalzinho, Padre Bernardo, Águas Lindas e Alexânia

Luziânia é um município no Estado de Goiás distante 240 quilômetros de Goiânia e 55 quilômetros de Brasília. Em 1746 o povoado foi chamado de Santa Luzia e logo já teria 10 mil pessoas atraídas pela notícia de existência de ouro. Com o declínio da mineração de ouro antes de 1800 muitas famílias abandonaram o povoado e fixaram-se na zona rural dedicando-se à lavoura e criação de gado

Jéssica Gonçalves de Luziânia realizando sua inscrição na conferência regional realizada no município

Secretário estadual de Meio Ambiente Leonardo Vilela

"A participação de cada município, de cada região do Estado é fundamental e tenho a certeza absoluta de que a participação da sociedade colocando as suas demandas, colocando os desejos, os anseios, os problemas e as soluções para o meio ambiente em cada município serão fundamentais para enriquecer nossa conferência estadual"


A representante do secretário estadual do Meio Ambiente Leonardo Vilela, secretária Executiva da Semarh Jacqueline Vieira

"Fala-se muito que Goiás é uma potência agrícola. Mas também o secretário Leonardo Vilela tem falado muito que Goiás também é uma potência ambiental. Se somos uma potência ambiental nossos negócios precisam ser pensados dessa forma. Se continuarmos negociando com a lógica do capital não teremos desenvolvimento sustentável"

Sementes de árvores do cerrado foram distribuídas pela prefeitura aos participantes da Conferência Regional de Meio Ambiente em Luziânia

Momento de votação nas propostas elaboradas em Luziânia

Igreja de Nossa Senhora do Rosário que foi construída em 1763. Na Casa de Cultura há registros de que trabalharam na construção mais de 400 escravos. Moradores da rua do Rosário dizem que cerca de 20 pessoas moreram durante o período de construção. Detalhe interessante é que há 87 túmulos em baixo do piso de madeira da igreja mas não se sabe de quem são

Gerente de Educação Ambiental da Semarh Hugo Leonardo na plenária para aprovação de propostas

Prefeitura montou uma Kombi da Leitura para levar livros para crianças de Luziânia

Grupos de resíduos sólidos e agroextrativismo (ao fundo) discutindo e elaborando propostas em Luziânia

Centro de Cultura e Convenções professor Abigail Brasil da Silveira

Formação da mesa com autoridades

Placa turística na Rua do Rosário, em Luziânia

Evento realizado no Centro de Convenções

Foto histórica de equipe trabalhando na construção de uma barragem no canal (Setor Mandu) para fornecimento de energia elétrica

Delegação de Corumbá de Goiás com o secretário de Meio Ambiente Wesley de Oliveira

Casa de Cultura Rui Carneiro, em Luziânia, na rua do Rosário. No local o visitante pode observar um acervo com peças e fotos que mostram a história do município

Participação de Liosório de Jesus Meireles, de Luziânia

Iluminação em casa na Rua do Rosário

Delegados escolhidos em Luziânia

Detalhe de casa na Rua do Rosário. Um morador que preferiu não ser identificado diz que as casas que permaneceram são as caçulas pois as mais antigas não resistiram ou foram demolidas. Mesmo assim há várias casas de mais de 200 anos restauradas e preservadas e algumas necessitando restauração

Equipe da Semarh que trabalhou na realização da Conferência Regional de Meio Ambiente em Luziânia

O antigo e o moderno na rua histórica do Rosário em Luziânia

Luziânia, diferentemente de Pirenópolis e Cidade de Goiás, não interditou suas ruas históricas (Rosário e São Benedito) para tráfego de caminhões. Eles passam bem perto de casas com mais de 200 anos, abalando toda a estrutura

Casa do artísta plástico DJ Oliveira precisa de reforma. O artista faleceu em 2005

Foto histórica mostra o atacadista de alimentos Sr. Daniel Matos abastecendo o município com mercadorias que vinham de Vianópolis por meio da estada de ferro

Placa em uma das casas antigas

Moradores da Rua do Rosário dizem que esta casa tem 258 anos de construção. Outra em frente e onde funciona um restaurante também teria a mesma idade

Caminhão recolhendo eleitores na época de eleição em Santa Luzia, hoje Luziânia

Casa de Elisa Gomes Curado que está com 90 anos e é neta de escravos. Fiz a foto dela na janela mas ela pediu para não publicar. Seu filho Jarbas disse que a casa tem mais de 200 anos e vão fazer uma reforma. "Não estamos preparados para recebermos turistas agora. Vamos reformar a casa". Jarbas relembrou partes da história de Luziânia. Ele diz que um rego de água chamado Rego Saia Velha foi construído por 2000 escravos durante dois anos e percorrendo 42 quilômetros de onde hoje é o Gama até Luziânia e a água era utilizada para lavar o ouro. "Quando eu era menino subia no morro e via o rego d'água cortado pelos escravos".

Foto a partir de foto exposta na Casa de Cultura de Luziânia. Mostra o acampamento da Missão Cruls, em 1892, na antiga Santa Luzia, hoje Luziânia

Baú de madeira que foi utilizado para guardar ouro durante o período de mineração

Naquela época o transporte era com carro de boi que vinha da zona rural e passava pela cidade

O artista plástico DJ Oliveira e sua casa em obra do artista Japão de 2010

Funcionários da Casa de Cultura em Luziânia que funciona na Rua do Rosário e guarda importantes peças da história do município. Fui bem recebido e o segurança da casa, José Carlos Brito, foi quem me apresentou o acervo. Na foto a coordenadora da casa Rosana Roriz Lima e a atendente Maria da Conceição Oliveira

Extensas lavouras de soja ao lado da estrada, em Luziânia, na volta a Goiânia. Um detalhe: nuvens indicando chuva no céu e sol que são importantes para a soja ficar madura e poder ser colhida no tempo certo

bateia utilizada para separar o ouro que impulsionou a criação de Santa Luzia

Na volta a Goiânia uma parada em Silvânia. Com lua no céu e um casal de bem-te-vis observando seu filhote que caiu do ninho

Dois garotos pegaram o filhote no chão e improvisaram um ninho para ele nas folhas de um coqueiro

Nos dois lados da estrada extensas lavouras de soja, em Luziânia, no mês de fevereiro de 2012