05/05/2010

VI Ciência para a vida - 68 fotos
.
Agricultura em sintonia
.
com o meio ambiente
Clique na foto para ver ampliada
Semente de tucumã, óleo de buriti, óleo de dendê e óleo de babaçu são exemplos de biocombustíveis apresentados na VI Ciência para a vida, evento da Embrapa de Brasília que participei no último final de semana. Alternativas na busca da sustentabilidade em relação a combustíveis. E diante de um mundo que caminha para 1 bilhão de carros - e a maioria utilizando combustíveis fósseis como a gasolina - as alternativas são bem vindas.

Fibra de coco que pode ser utilizada para fazer "xaxim" e não só virar lixo. Reaproveitamento que evita extração desenfreada do xaxim na natureza que pode levar à extinção da espécie.

Produtos cultivados sem agrotóxicos. Uma batalha grande dos agricultores e pesquisadores já que sem os agrotóxicos as plantas ficam vulneráveis a pragas.

Artesanato com bordados com temática ambiental: fauna e flora do cerrado. Agregando valor, defendendo o meio ambiente e gerando empregos.

Lobo guará bordado na camiseta.

Área com reflorestamento dentro da sede da Embrapa em Brasília. Exemplo de que é possível reflorestar uma área desmatada com espécies do bioma.

Clique na foto para ver ampliada
Produção de tomate com menos agrotóxico. De acordo com com a Anvisa, 40% dos tomates estão contaminados com agrotóxicos. Então alternativas para diminuir o agrotóxico são bem vindas. Mas melhor não seria sem agrotóxicos? Seria, mas para a grande produção isso ainda é impossível. Até mesmo na exposição da Embrapa observei que havia plantas com doenças nas folhas. Não é fácil produzir com qualidade sem ataques de insetos e doenças. Para isso, cada vez mais pesquisas devem ser feitas.

O exemplo do tomate saudável produzido com menor quantidade de agrotóxicos.

Clique na foto para ler o banner

Plantas medicinaisNa exposição da Embrapa foram apresentadas várias espécies de plantas medicinais. Abaixo destaco a Embaúba e a mamacadela. Mas nesta horta de medicinais também estavam expostas outras como a arnica que é encontrada na Serra de Caldas Novas, dentro do Parque Estadual.

Clique na foto para ver ampliada

Óleo de buriti: exemplo de biocombustível que pode ajudar na preservação dos buritis ou na destruição dos buritizais. Tudo depende do uso que deve ser sustentável. Mas com tanta pesquisa não será na extração que o homem vai falhar. E a história mostra que muitos animais não foram extintos porque o homem viu neles utilidades. Se o buriti não tiver utilidade pode ser extinto mesmo. Mas como fornece frutos deliciosos para fabricação de doces, picolés, sorvetes e até combustível a espécie mostra que é importante ser preservada. Preservando o buriti preservamos também muitas veredas que são importantes e funcionam como caixas d'água no cerrado retendo a água da chuva e liberando aos poucos durante o ano todo.




Girassol






Combustíveis fósseis são finitos. Com uso tão intensivo um dia vai acabar. A vida do homem dependendo de combustíveis não pode ficar restrita a combustíveis fósseis. Está aí a importância dos biocombustíveis.

Clique na foto para ver ampliada

Alternativa: sisal já está sendo utilizado em componentes automobilísticos



Artesanato com palha de milho colorida. Novas opções para reaproveitamento e geração de renda para comunidades. Em Goiás temos como exempo de produção desses artesanatos em Olhos D'Água, Alexânia.

Curauá já é utilizado como alternativa para a fibra de vidro


Palha de milho com várias colorações possibilitam ao artesão destacar roupas, cor de pele, adereços ou detalhes.

Artesanato com parte inferior da folha do buriti. Preço R$ 200 a R$ 300. Paga quem valoriza o trabalho. E os artesãos estão sempre vendendo sua arte.



Artesanato com palha de milho: flores, rosas do cerrado.

Artesanato com cabaças. Valor: R$ 20 reais.

A artesã Tânia Rosa Garcia e sua produção a partir de cabaças.

Decoração com cabaças e palmeiras.

A artesã Deise Lemos de Almeida e sua produção.

Porta incensos construídos a partir de palmeiras como jerivá ou ouricuri.

Valores que variam de R$ 40 a R$ 60 reais.

Licor de caju entre o licor de chocolate e tamarino.

Licor de Araticum: agregando valor a frutos do cerrado o cerrado não é destruído somente para fabricação de carvão - o que foi muito comum no passado.

Produtos orgânicos. Produtores garantem que não são utilizados agrotóxicos. Saudáveis e em sintonia com o meio ambiente.

A cada dia mais qualidade com os produtos orgânicos. Bom para o meio ambiente e ótimo para a saúde.

Camisetas com temática ambiental e principalmente do cerrado. Trabalho do grupo de bordadeiras As Três Baianinhas.

Camisetas com representação da fauna do cerrado. Preço: R$ 48 reais.

Árvore bordada em toalha. Preço: R$ 30 reais.

Beija-flor bordado em jogo americano de R$ 45 reais.


Tatu bordado na camiseta que custa R$ 48 reais. A vendedora explica. Quem valoriza o trabalho compra. Enquanto isso, artesãs ganham a vida e ao mesmo tempo defendem o cerrado e o meio ambiente com essa temática.


Tamanduá-bandeira bordado na camiseta. Um animal do cerrado que ingere milhares de cupins com sua língua comprida e pegajosa. Cupins então não são tão maus para o meio ambiente. O problema é o desequilíbrio causado pelo homem que atropela os tamanduás nas estradas ou acaba com o cerrado desmatando o campo limpo, campo sujo, cerrado stricto sensus, cerradão. Sem habitat o tamanduá sai em busca de comida e morre nas estradas. Sem tamanduá os cupins proliferam sem o seu predador maior. O equilíbrio é o ideal.

Fiquei encantado ao ver dezenas de beija-flores desses no Parque Estadual de Pireneus, cerca de 150 quilômetros de Goiânia. Beijando as flores eles vão fazendo a polinização e conseguem em troca o néctar de que tanto precisam para manterem seus vôos que dependem de muita energia.

Um ipê-amarelo do cerrado bordado na almofada de R$ 120 reais.

Tamanduá Bandeira bordado na almofada.

Equilibrio é viver de bem com a natureza.

A onça pintada que a cada dia se vê mais ameaçada sem seu habita original.

Almofadas com temática ambiental e de preservação do cerrado.

Florestas. Foto da instalação ou decoração de uma das salas da exposição Ciência para a Vida da Embraba, em Brasília.

Clique na foto para ler ampliado

Clique na foto para ler ampliado


Clique na foto para ler ampliado


Clique na foto para ler ampliado

Clique na foto para ler ampliado

Clique na foto para ler ampliado
.
.
.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário