10/12/2011

CONFERÊNCIA REGIONAL DE MEIO AMBIENTE EM IPORÁ

"Novo modelo econômico
e novo modo de vida"
.
Superintendente Executiva da Semarh Jacqueline Vieira: "Precisamos construir metodologias para incluir nas nossas escolas a temática de economia verde e desenvolvimento sustentável para erradicação da pobreza". Veja também no final desta publicação a Carta de Goiás
.
Rumo a Iporá, ao lado da estrada, em uma fazenda, duas árvores se destacam no cenário com pasto verde para o gado regado pelas chuvas de dezembro
.
Káren Fernandes Gonçalves realizando inscrições de conferencistas em Iporá
.
Avenida Minas Gerais com Rua Esmerindo Pereira

Jacqueline Vieira: "Criamos o Fórum de Secretários de Meio Ambiente do Bioma Cerrado e os outros 12 estados que estão contemplados no Fórum não estão discutindo Rio+20. Só o Ministério do Meio Ambiente está discutindo economia verde. Estamos participando dessa discussão no Planalto sobre a participação dos Estados na programação da Rio+20, contribuímos com a Declaração de Brasília e com a Carta de Goiás (Veja no Final desta publicação). Entregamos esses documentos para a ministra do Meio Ambiente e para o coordenador da Rio+20"
.
Árvore do cerrado sem folhas em dezembro mesmo no período chuvoso

Ana Paula e Joice Costa Martins de Iporá na Conferência Regional de Meio Ambiente

Outdoor nas estradas sobre a 3ª Conferência Estadual do Meio Ambiente

Nicodemos José Xavier, 82 anos, é ex-presidente de associação de pequenos produtores e tem uma propiedade rural em Iporá. "Acho importante participar da conferência para ter aprendizado e levar essas informações para filhos e netos"
.
Decoração de Natal em Iporá, que é um nome de origem indígena e significa 'águas claras'
.

Jacqueline Vieira: "Quando as propostas surgem das localidades, surgem das pessoas e a gente consegue levar essas propostas elas têm mais consistência do que quando vêm de cima para baixo"
.Muita chuva nas estradas na viagem de Goiânia a Iporá
. Eris Liandra e Daynna de Iporá participaram da conferência regional
. Decoração na Avenida Goiás na quinta-feira a tarde em Iporá
. Jacqueline Veira: "Estamos discutindo um novo modelo econômico, um novo modo de vida. E para isso precisamos de todos"
. Decoração de Natal na Avenida Pernambuco
. O prefeito de Iporá José Antônio e Jacqueline Vieira da Semarh
. Palestra de Hugo Leonardo na Conferência Regional de Meio Ambiente em Iporá
. Joice Costa Martins fazendo sua inscrição e com crachá azul - delegada
. Decoração de Natal na Praça da Paróquia Nossa Senhora do Rosário
. Produtor rural Nicodemos José Xavier deixou o trabalho na fazenda para participar da Conferência Regional de Meio Ambiente em Iporá
. Paróquia Nossa Senhora do Rosário
. A repórter da Rádio Rio Claro, Lisley Paiva, entrevista Jacqueline Vieira
. Decoração de Natal nas ruas de Iporá e ao fundo a Igreja Assembléia de Deus
. Subtema Bacias Hidrográficas elaborando propostas
. Rua Catalão durante a noite de quinta-feira
. Momento de inscrições
. Pirarucu sobe para respirar em Israelândia
. Subtema Agroextrativismo elaborando propostas de Iporá
. Estrada que liga Iporá a Israelândia
. Revelação de amigo secreto da equipe da Semarh
. Equipe da Semarh em Iporá
. Lago em Iporá
. Jacqueline Vieira com o prefeito de Iporá José Antônio
.
Só tinha uma árvore no meio da plantação. No meio da plantação só tinha uma árvore... (Recordando Carlos Drummond de Andrade) E ao fundo o Morro dos Macacos em Iporá

.Subtema ICMS Ecológico elaborando propostas
. Outra vista do Morro dos Macacos
. Dinâmica na abertura do evento com Adélia, do Movimento Negro: "Bom dia você"
.
Jacqueline Vieira: "Fomos cumprimentados em Brasília no Encontro Brasileiro de Secretários de Meio Ambiente por estarmos fazendo a conferência em Goiás e discutindo Economia Verde"
. Auditório lotado no PET em Iporá também com a presença de representantes do Batalhão Ambiental
. Em Iporá tem Rua em homenagem à capital
.
. Subtema Pagamento por Serviços Ambientais elaborando propostas
. Presença de jovens na Conferência Regional em Iporá
.
Vereador Duílio Siqueira: "Em 1 alqueire o produtor pode colocar de 5 a 8 vacas que produzem cerca de 50 litros de leite por dia ou 1500 litros de leite por mês. Essa é a conta que o produtor faz. Tem de ter o mesmo rendimento ou mais para o agroextrativismo. É algo a longo prazo. O produtor não pode perder isso pensando que vai ganhar de outra forma"

.Subtema Recursos Sólidos elaborando propostas
.
Iporá foi a sétima conferência regional de meio ambiente que antecede a estadual
.
Delegado Valfrido: "Plantamos 75 pés de mangaba e 25 pés de pequi em uma área de 3 mil metros quadrados. Por ano teriamos uma renda de R$ 300 reais com venda de leite e com mangaba e pequi teremos em torno de R$ 1000 reais por ano ou três vezes mais do que com leite"
.
Delegados escolhidos em Iporá para participarem da Conferência Estadual de Meio Ambiente em Goiânia em março de 2012.


Leia abaixo a Carta de Goiás:
.
FÓRUM DE SECRETÁRIOS ESTADUAIS DE MEIO AMBIENTE DO BIOMA CERRADO
.
DECLARAÇÃO DE GOIÁS
.
Os Secretários Estaduais de Meio Ambiente do Bioma Cerrado, representados por Amapá, Bahia, Goiás, Mato Grosso, Rondônia, Tocantins, em reunião no Ministério Público do Estado de Goiás, na cidade de Goiânia, no dia 10 de novembro de 2011, apresentam a Declaração abaixo.
.
Considerando que o Bioma Cerrado:
.
* Representa 5% da biodiversidade mundial e está presente em 14 Estados brasileiros;

.* Tem como meta a redução de 40%, até 2020, das emissões de COeq por desmatamento e degradação, estabelecidas pelo Brasil no Plano Nacional de Mudanças Climáticas;
.
* Carece da disponibilidade de recursos financeiros suficientes para a conservação e para o desenvolvimento sustentável;
.
* Está sujeito ao impacto de diversas políticas, atualmente em discussão: PEC Cerrado, novo Código Florestal Brasileiro, Economia Verde Inclusiva (Rio+20), Estratégia Nacional para a Biodiversidade 2020;
Considerando os temas ambientais de maior relevância para o Bioma Cerrado:
.
* Mudanças Climáticas - tendências específicas para as previsões de mudanças climáticas: menor variação de temperatura, porém estação seca mais prolongada e maiores concentrações de chuvas num período menor (chuvas torrenciais) - impactos que devem ser considerados nas políticas de mitigação aos efeitos das mudanças climáticas;
.
* Biodiversidade - perdas mais intensas de biodiversidade com o avanço da fronteira agrícola e proteção legal insuficiente, associadas à urgente necessidade de fortalecimento da infraestrutura dos Organismos Estaduais de Meio Ambiente - OEMAs;
.
* Recursos Hídricos - principais nascentes das quatro grandes bacias hidrográficas brasileiras (Amazônica, Araguaia-Tocantins, do Paraná e do São Francisco), tornando o Cerrado berço das águas brasileiras;
.
* Desenvolvimento Sustentável – busca de estratégias voltadas para o desenvolvimento do Bioma, em consonância às demandas sociais, ambientais e econômicas, através da articulação política.
Considerando os temas para a efetivação de políticas de desenvolvimento no Bioma Cerrado:
.
* Plano de Segurança Climática - mitigação e adaptação a mudanças do clima;
.
* Plano de Conservação da Biodiversidade - biodiversidade como patrimônio natural, científico, financeiro, alimentar e de inovação tecnológica nas áreas de genética e de princípios ativos, entre outros;
.
* Plano de Manutenção de Recursos Hídricos - para equilíbrio do Bioma e sustentabilidade dos processos produtivos agropecuários, industriais e urbanos;
.
* Plano de agregação de valor aos produtos de exportação do Bioma Cerrado - com financiamento da conservação para manutenção dos remanescentes vegetais, recuperação de áreas degradadas, manutenção da disponibilidade hídrica, proteção de espécies raras, endêmicas e ameaçadas de extinção;
.
* Plano de Ativos Ambientais - redução de emissões de COeq; manutenção de estoques de carbono florestal; REDD+; REDD e outros ativos ambientais (água, biodiversidade, solo, serviços ecossistêmicos, PSA, dentre outros).
Considerando o objetivo do Fórum de Secretários Estaduais de Meio Ambiente do Bioma Cerrado de:
.
* Promover a integração e descentralização das políticas de meio ambiente para qualificação do crescimento econômico dos Estados e do País como estratégia para o Bioma Cerrado; e
.
* Promover a cooperação entre os Estados que abrigam o Bioma de forma que as experiências de gestão possam ser compartilhadas.
.
Considerando os desafios comuns do Fórum de Secretários Estaduais de Meio Ambiente do Bioma Cerrado de:
.
* Prospectar cenários de desenvolvimento com e sem políticas de conservação, diante dos cenários nacional e internacional, político e econômico como bases para tomadas de decisão;
.
* Implementar políticas e ações de captação de recursos para melhorias e inovações tecnológicas dos processos e atividades econômicas no Bioma, que reforcem a conservação e a recuperação de áreas críticas;
.
* Articular e mobilizar social e politicamente o reforço das ações de desenvolvimento sustentável e conservação.
Os Secretários presentes no 2º Encontro do Fórum dos Secretários Estaduais de Meio Ambiente do Bioma Cerrado, vem a público, em carta aberta, apresentar as seguintes prioridades e recomendações:
.
* Para o desenvolvimento sustentável do Bioma Cerrado há a necessidade de ampliar os recursos de diferentes fontes a ser investidos na região, de forma integrada e descentralizada;
.
* Intensificar as consultas e a articulação com os Governos Estaduais para o planejamento, revisão e implementação do Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento e Queimadas do Cerrado (PPCerrado);
.
* Votação urgente da PEC Cerrado pelo Congresso Nacional (tramita há 14 anos), que declara e reconhece o Cerrado como patrimônio nacional, elevando-o a mesma categoria dos demais Biomas (Amazônia, Mata Atlântica e Pantanal);
.
* Desenvolver estratégia para reconhecimento e valorização do Cerrado como berço das águas, incentivando e promovendo a elaboração dos Planos Estratégicos de Bacia e Recursos Hídricos dos Estados que abrigam o Bioma;
.
* Os Estados devem participar efetivamente com o ICMBio na criação de Unidades de Conservação - UCs, com as devidas consultas públicas realizadas;
.
* Os recursos da Compensação Ambiental dos licenciamentos federais deverão, efetivamente, ser utilizados nas UCs Estaduais e Federais do Estado impactado;
.
* A captação e destinação de recursos para investimentos no Bioma devem priorizar a efetiva participação dos Estados no planejamento, negociação e aplicação;
.
* Apoiamos a implantação do Mercado Brasileiro de Redução de Emissões – MBRE, alertando para o fato de que, em função dos compromissos assumidos pelo Governo brasileiro de reduzir as emissões do Bioma Cerrado em, pelo menos, 40% há a necessidade de se programar recursos para apoio a projetos de redução de emissões no Bioma, no esforço suficiente para atingir a meta mínima;
.
* Há a necessidade de se criar mecanismos financeiros semelhantes ao Fundo Amazônia para o Cerrado;
.
* O agronegócio brasileiro contribui com aproximadamente 30% do Produto Interno Bruto (PIB) e emprega em torno de 40% da população economicamente ativa, respondendo em grande parte pelo superávit da balança comercial do país. Nesse contexto, o Bioma Cerrado responde por 42% do que representa o agronegócio brasileiro no PIB (Embrapa, 2011), o que evidencia a necessidade estratégica de considerar o meio ambiente como qualificador do crescimento econômico do Bioma;
.
* Ampliar o Programa Bolsa Verde para atender as UCs Estaduais e comunidades tradicionais do Cerrado;
.
* Disponibilizar recursos financeiros para a implantação do Licenciamento Ambiental Único - LAU e do Cadastro Ambiental Rural – CAR no Cerrado;
.
* Incentivar os diversos segmentos da sociedade civil a se comprometer de forma mais efetiva com os temas ligados ao Cerrado;
.
* Destacamos o papel crescente e atuante da Ministra Isabela Teixeira e sua equipe, na implementação de políticas públicas para o Cerrado e nos colocamos à disposição para contribuir com todos os esforços nesse sentido.
..
. .

Nenhum comentário:

Postar um comentário