04/12/2010

EDUCAÇÃO AMBIENTAL COM SOLTURA DE AVES
.
Livres das 'grades'
De volta à natureza

50 Canários da Terra, 6 Pássaros Pretos, 24 Maritacas e 22 Periquitos do Encontro Amarelo foram soltos e estão novamente voando pelos cerrados de Goiás. Vão novamente contribuir na dispersão de sementes do bioma e alegrar as manhãs e tardes com seus cantos
.

A 3ª edição do Projeto Asas - Área de Soltura de Animais Silvestres foi realizado no Rio Quente Resorts no dia 3 de dezembro. O projeto é uma parceria do Birdland - Terra dos Pássaros com o Ibama. A iniciativa promove a soltura e reintrodução de aves silvestres no Cerrado brasileiro depois de serem mantidas, tratadas e recuperadas com o apoio técnico e físico.
.
.

Lugar de aves não é atrás das 'grades' ou dentro de gaiolas. Já existem modelos de gaiolas abertas que quem gosta de ave pode colocar quirera de milho, painço ou alpiste e observar as aves que pousam para se alimentar. Em uma das fotos abaixo mostro um modelo dessas gaiolas abertas.
.

Nas mãos antes de voltar à liberdade
.

Rapidamente já no ar
.

Todos soltos novamente
.

Momento de educação ambiental antes das abertuas das gaiolas. Várias crianças participaram do evento e até tiveram uma ave nas mãos para soltar
.

Detalhe de camiseta de servidor do Ibama
.

Um close dentro da gaiola. Momento de expectativa antes de partir em vôo. A beleza das aves encanta mas observá-las na natureza pode ser bem mais encantador - o que já fazem grupos de observadores de aves. Para quem quiser praticar o hobby um bom binóculo e câmera fotográfica com lente de generoso zoom pode ajudar.
.

Quando chegam ao Projeto Asas depois de serem apreendidas ou resgatas pelo Ibama muitas aves estão machucadas nas pernas, asas ou outras partes do corpo. Algumas estão desnutridas, desidratadas e podem terminar morrendo. "Algumas comem o próprio pé de tanto estresse", explica surpreendentemente um dos tratadores
.

Os que resistem são avaliados se podem ser soltos na natureza
.

Detalhe de colete com logomarca da Bird Land
.

Parece até que o periquito não está acreditando...
.

Secretário Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos prestigiando o evento no Hot Park, em Rio Quente
.

Todos esperando a hora de abertura das gaiolas
.

Detalhe da logomarca do Cetas em colete
.

Hora de voar, voar, voar
.

Dentro da gaiola os pássaros-pretos ficam estressados. Mas faltava pouco tempo para ganharem a liberdade
.

Primeiro surge uma dúvida... Será que é verdade? Mas logo após todos partiram ou voltaram para a liberdade nas matas dos cerrados
.

Para se ver aves bem pertinho de casa ou até mesmo dentro de nossa área não precisa ter gaiolas fechadas. Este modelo de gaiola aberta funciona como um comedouro. As aves pousam e comem quirela de milho ou outro alimento. Quando não querem mais voam. Mas enquanto isso proporcionam bela visualização. Flagrei esse momento também em Rio Quente, na Esplanada, no Residencial Village - hospedagem. O proprietário cuida das aves e pode visualizá-las todos os dias de bem perto. "Crio todas soltas", disse com satisfação
.

Lílian Amorim, Edson Porto e Daiane de Jesus plantaram um ipê amarelo.
.

Gerente de Áreas Protegidas da Semarh Cláudio Adriano Costa
.

Superintendente de Licenciamento da Semarh Neuzelides, prefeito de Rio Quente Enio Eurípedes e o secretário estadual do Meio Ambiente Roberto Gonçalves Freire plantaram uma aroeira. Em Goiás o dia 3 de dezembro é o Dia Estadual de plantio de mudas nativas - Lei 16.747 de 2009, lembrou o secretário
.

Equipe da Semarh, Hot Park e Ibama
.

Equipe da Semarh, Hot Park, Ibama, Prefeitura e Secretaria de Meio Ambiente de Rio Quente
.

Uma pose com a Turminha do Cerrado do Rio Quente Resorts, equipe que alegra os eventos e desperta a atenção para a preservação do meio ambiente com uma forma de educação ambiental lúdica.
.
.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário