03/12/2009

COLETA SELETIVA EM GOIÂNIA - 60 FOTOS
.
O colorido especial
.
de crianças e idosos
.

Educação Ambiental em Goiás acompanhou de perto o trabalho de Coleta Seletiva no Bairro Goiá e outros bairros próximos, em Goiânia. Logo o caminhão já estava cheio de recicláveis. E o trabalho mostra um colorido especial com crianças, idosos, homens e mulheres saindo das casas e até correndo atrás do caminhão para entregar seus recicláveis. Cada um querendo fazer sua parte.


Quando ouvem a musiquinha do caminhão é criança saindo para todo lado para entregar o que conseguiu juntar durante a semana. Uma correria danada.
.
Veja o vídeo com a cena acima
.

José Teodoro (motorista), Ronaldo Gomes e Carlessandro Rodrigues:
.
Ronaldo: "Me sinto bem contribuindo com o meio ambiente"
.
Carlessandro: "As pessoas nos valorizam mais do que na coleta de lixo. Chamam para conversar, para dar lanche"


Há três semanas o caminhão rodou, rodou no bairro e ainda estava vazio. Mas era o início. Fiquei meio preocupado pensando: se as pessoas não separarem não vai funcionar. Mas funcionou com a participação de todos. Agora em pouco tempo o caminhão já está quase cheio de recicláveis.
.

E mais recicláveis vão chegando.


Passando em cada rua do bairro


Carlessandro recolhe caixa de papelão utilizada como embalagem para leite e pets.
.


.

Uma verdadeira aula de educação ambiental na prática envolvendo poder público, pais e crianças


Com certeza a Prefeitura de Goiânia vai ter de repensar o tamanho ou a quantidade de vezes que os caminhões vão ter de passar já que em breve a quantidade de recicláveis deve aumentar muito.


Família inteira acompanhando o trabalho.


Ronaldo e Carlessandro: "Há bairros que o caminhão enche rápido. No Setor Sul e no Jardim Atlântico eles juntam muito recicláveis"


O caminhão baú é mais indicado principalmente por causa do período de chuvas já que principalmente papel e papelão não podem molhar ou então perdem preço. Chegam a valer até 60% menos se molharem.


Com o caminhão cheio outro caminhão maior vem buscar os recicláveis. Depois o caminhão menor continua coletando.
.

Até isopor.


No lixo o isopor não vale nada além de ocupar um imenso espaço. Mas pode servir para fazer artesanatos e virar um belo ipê cor-de-rosa. Vai depender da criativida do artesão ou artesã.




O comércio também separando os recicláveis
.

Quanta pet que poderia parar no aterro sanitário. Essas não vão mais.


A diferença é que antes a população queria distância do lixo. Agora quer separar os recicláveis e participa até o último momento. Quer ver o reciclável dentro do caminhão. E aí tem um problema simples que pode ser solucionado.


Se a população ficar esperando para colocar o reciclável somente na hora que o caminhão passa muitas vezes o caminhão precisa parar ou o recolhedor voltar e novamente correr atrás do caminhão.


A senhora já idosa foi correndo levar seus recicláveis e o recolhedor voltou para buscar. Isso leva mais tempo da equipe. Mas a verdade é que ninguém quer perder o trabalho. Junta todos os recicláveis durante a semana mas quer ver ir para o local certo. "Nada de esquecer meu reciclável!"


Então a orientação é deixar os recicláveis na calçada para não haver perda de tempo ou correria de última hora.


O caminhão está passando nos bairros de Goiânia uma vez por semana. Só marcar o dia e saber o turno que vai passar e deixar os recicláveis na calçada.


Sacos cheios de recicláveis


Papelão decompõe fácil. Mas melhor mesmo é reciclá-lo.


Na calçada fica fácil fazer a coleta do papelão.


É preciso ter equilíbrio. O planeta também precisa de equilíbrio. Não reciclar desequilibra o planeta.
.

Quanta pet, quanta sacolinha. Vão para a triagem.


Mais crianças entregando os recicláveis juntados durante a semana


Uma olhadinha rápida. Se é reciclável e não estão misturado com lixo orgânico ou sujo vai tudo para o caminhão


Dois coletadores. Na primeira semana era só um. O trabalho aumentou.

.

E tudo muito rápido. Para em cada calçada e cada rua do bairro atendido pelo serviço. A promessa é de atender toda a capital.


Pet separadinha vai pro caminhão de recicláveis.


Mais papel, papelão.


Atenção: lixeira vazia. Lixeira? Lixo não, reciclável.


Mais um morador entrega reciclável na mão do coletador.


Se não é lixo tem valor. Quer ver o destino correto, lá dentro do caminhão. O problema é só que aumenta o tempo da coleta.


Pode confiar e deixar na calçada. Só ficar atento com o dia correto que passa o caminhão.


Tudo muito rápido.


Logo a frente tem mais reciclável.


Tudo no mesmo saco. Só precisa ser reciclável, não estar misturado com orgânico, nem sujo. Na triagem a separação será feita. Em breve vamos mostrar a triagem aqui em Educação Ambiental em Goiás.


Olha a pontaria...


Nada de orgânico. Tudo separadinho e limpo vai para o caminhão.




Por ruas de asfalto e de terra também. O caminhão vai fazendo sua rota.

Olha só que encontro de caminhões...
.

Um belo e enorme caminhão da Coca Cola. Quantas pets dessa marca e de outras não vão para os lixões ou aterros sanitários todos os dias? Grande parte dos recicláveis são de bebidas e principalmente refrigerantes. Essas empresas bem que poderiam contribuir muito mais com esse trabalho de reciclagem.
.

Ao fundo o Morro do Mendanha, onde estão antenas de empresas de televisão e rádios de Goiânia


Em cada rua procurando quem já se conscientizou e está fazendo sua parte deixano os recicláveis na calçada no dia da coleta.


Essa equipe já está lotando duas vezes o caminhão. Em breve será muito mais já que no bairro o trabalho começou há apenas três semanas.


A dona de casa entrega os recicláveis na mão do coletador.


E mais recicláveis. Algumas famílias já enchem sacos.


Coletadores trabalham sorrindo, alegres vendo que a população recepciona bem eles e o trabalho.






Na lixeira fica ainda mais fácil de coletar. Não precisa ficar abaixando toda hora.


De longe o motorista José Teodoro já vê que tem reciclável.


O caminhão sobe por uma rua, desce por outra. Assim fica mais fácil fazer a rota.
.
.

Belo trabalho desenvolvido em Goiânia pela prefeitura, cooperativas e principalmente pela população. Começou na maior parte dos bairros há cerca de um mês e promete atingir toda a capital. Antes foi desenvolvido durante alguns meses como projeto piloto. Agora só não pode parar. Até mesmo porque já ganhou o apoio de grande parte da população que deverá motivar muitos outros mais que sabem a importância de preservação do meio ambiente e esperavam uma oportunidade dessas para fazer sua parte também.
.
Obs.: Algumas fotos desta matéria ficaram em sentido contrário. Uma antes da outra na sequência. Isso foi proposital para exemplificar que às vezes é preciso fazer o contrário do que se está acostumado para obter o resultado que se espera. Parabéns a Goiânia. Wagner Oliveira.
.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário